Trabalhando com equalizadores

Não gosto de equalizadores. Aliás, não gosto de periféricos nenhum: nem eq´s, nem compressores, nem efeitos. Gosto de uma boa mesa de som, de boas caixas de som, de bons microfones. Acho que a compra de periféricos só vale a pena quando os outros componentes (mics – cabos – mesa – caixas acústicas) já são bons, e ainda falta acertar uma ou outra coisa, quando aí sim os periféricos podem ser úteis.

Visitei uma igreja onde havia uma Ciclotron MXS com um equalizador Behringer FBQ 3102, 31 faixas de equalização por canal! Pergunte se o som lá é bom? Não, não é. É o som de uma mesa Ciclotron MXS um pouquinho melhorado. Se a pessoa que doou o equalizador para a igreja tivesse pego os R$ 850,00 que o mesmo custou e tivesse investido em uma boa mesa de som, aí sim o som seria outro, muito melhor.

Mas, inegavelmente, quando a acústica ou as caixas acústicas do lugar são muito ruins, um equalizador vai servir como uma ajuda e tanto, minimizando o problema. Não que vá resolver, mas consegue-se melhorar muito. Mas não pense que ajustar um equalizador gráfico é uma tarefa fácil. Muita gente “regula” desenhando figuras como uma boca sorrindo, uma boca triste, “morrinhos”, etc. Nada disso está certo. Regular um equalizador depende do conhecimento da acústica do local, dos equipamentos e instrumentos em uso, das caixas disponíveis e o tipo de público. Cada caso é um caso.

Nada substitui um ouvido apurado quando se trata de configurar um equalizador. Mas como ter ouvido apurado é algo que leva tempo e treinamento, colecionamos alguns textos que ajudam a identificar as frequências que estamos ouvindo em relação ao compressor.

O primeiro texto é da Behringer, fabricante alemã,  que disponibiliza os os efeitos da equalização das frequências sobre os instrumentos musicais e sobre a voz. Esse manual serve de referência, mas lembre-se de confiar nos seus ouvidos. Também a acústica local deve ser levada em conta.

Nota: as frequências relacionadas servem para qualquer equalizador – seja de 5, 7, 10, 15 ou 31 faixas, pois dão idéia da atuação das faixas de frequências.

Na próxima página veremos os efeitos da equalização em instrumentos musicais.

  1. gope:
    Equalizador é indispensável nas mãos de quem sabe, mas pode ser uma catástrofe nas maõs de outros.
    Como nosso caso é,na maioria das igrejas,som amdor,
    prefiro ter um bom pré-amp. do que um equalizador gráfico.

    Abçs
  2. R. Leal:
    Me surgiu uma duvida a respeito de equalizacao.

    Tenho insertado no canal do mic um eq de 31 bandas, suponhamos q eu atenue em 3dB a frequencia de 80Hz no equalizador e tb atenue cerca de 3dB no EQ da mesa a freq. de 80Hz, qual sera o valor total da atenuacao, 6 dB? ou somente 3dB pq pelo fato do EQ estar insertado no canal ele ´´anula´´ a equalizacao da mesa.
  3. thiago:
    Olá Raphael,

    a atenuação será de 6 db, pois o insert não anula nada na mesa (pelo menos numca vi isso em manual nenhum). O som simplesmente passa por ele, vai até o equalizador e volta novamente.
  4. gope:
    ôpa!
    [quote="raphael leal":3m0nwqq9]
    Tenho insertado no canal do mic um eq de 31 bandas, suponhamos q eu atenue em 3dB a frequencia de 80Hz no equalizador e tb atenue cerca de 3dB no EQ da mesa a freq. de 80Hz, qual sera o valor total da atenuacao, 6 dB? [/quote:3m0nwqq9]
    O seu pensamento está certo, porém há uma ressalva. O eqs tem larguras de banda diferente, um gráfico de 1/3 de oitava é bem mais seletivo, já o eq da mesa é muito mais abrangente

    Isso significa que o eq da mesa altera mais as freq "vizinhas". Já o gráfico altera pouquíssimo(isso tbm depende do tipo de gráfico, se com Q variável ou constante).

    Abçs!

Deixe seu comentário no fórum