A fé vem pelo ouvir.

"De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus." Rom 10:17

Quando observamos esse versículo, a primeira pergunta a se fazer é: "O que quer dizer a expressão "a fé é?". No contexto em que a expressão foi apresentada, o apóstolo Paulo estava falando da pregação da Palavra. E prega-se a Palavra para aqueles que ainda não aceitaram Jesus. Logo, o sentido da expressão é que aqueles que não tem fé vão passar a ter fé. Vão aceitar Jesus como seu único Redentor, vão alcançar salvação.

Nós temos 5 sentidos: audição, visão, olfato, paladar e tato. É através dos sentidos que temos contato com o mundo. Por exemplo, uma pessoa cega, com deficiência no sentido da visão, tem uma percepção de mundo muito menor que uma pessoa que enxerga. Na igreja é a mesma coisa. O trabalho da igreja é fazer com que as pessoas tenham contato com Jesus, que as pessoas "percebam" que Jesus está vivo e pode ajudar a todos. E a Bíblia dá a receita de como fazer isso: pelo sentido da audição, por ouvir a pregação da Palavra (seja em um hino, seja pela pregação propriamente dita).

Mas existem denominações que "esquecem" desse versículo. Há igrejas que acham que a fé em Deus vem pelo sentido da visão. Então constróem igrejas suntuosas, enormes, altíssimas, todas em mármore e granito, bancos forrados com couro ou veludo, altares de ouro. Luzes, efeitos especiais, telões. Não discordo que o sentido da visão é importante, mas não é ele que vai fazer as pessoas terem fé. Não é isso o que diz a Bíblia.

Tem denominações que acham que a fé vem pelo paladar. Fazem então a "Campanha da Cesta Básica", distribuindo comida para as pessoas carentes. Pregam o pão da padaria, a água da concessionária. Água e comida na mesa são essenciais para a sobrevivência do corpo, mas não é isso que a alma quer. Não vem fé pelo paladar.

Outras igrejas acreditam que a fé vem pelo tato, pelo que sentimos com as mãos. Que melhor exemplo do que sentimos com as mãos do que o dinheiro? E igrejas pregam que o dinheiro vai levar a pessoa a Deus. E tome sacolinha, envelope, pedido de contribuições. Quem pode dar 100,00? Quem pode dar 500,00? "Olha gente, quem puder dar 1.000,00 tá com lugar garantido no céu!" Ou então fazem o contrário: pregam que Jesus vai dar bom emprego, carro, casa própria (a chamada "Teologia da Prosperidade"). "Nem se preocupe em estudar, em trabalhar muito. Se entregue a Deus que você vai ganhar riquezas" dizem. Só que esse tesouro é aqui na Terra, enquanto a Bíblia ensina a ajuntar tesouros nos Céus. Dinheiro é bom e necessário, mas não é por isso que alguém vai ter fé ou não.

Ainda não conheço igrejas que investem no sentido do olfato. Ainda…

O caminho para as pessoas terem fé é um só: pela audição. É pelo ouvir da Palavra de Deus que as pessoas vão crer, acreditar que Jesus pode transformar as suas vidas. É pelo ouvir de uma Palavra Revelada, viva, cheia do Espírito Santo de Deus, que o homem vai se arrepender dos seus pecados e aceitar a Jesus como seu único Salvador. Pode ser o templo mais suntuoso do planeta, pode oferecer o banquete que for, pode prometer rios de dinheiro. Se não houver uma mensagem que atinja o profundo da alma, a necessidade do homem, então não vai haver fé, não vai haver verdadeira salvação.

O melhor exemplo para isso foram os primeiros cristãos de Roma, nos primeiros séculos depois de Cristo. Houve um momento em que o cristianismo foi proibido. Quem era descoberto cultuando a Deus era jogado nas arenas dos leões. Então os cristãos se reuniam nas catacumbas, onde os mortos eram colocados (não eram enterrados, ficavam em nichos esculpidos nas pedras). Nesses locais, não havia nada para se ver (gente morta), nada para se comer ou cheirar (já imaginaram o cheiro de um corpo em decomposição), muito menos o que se tocar. Mas havia uma Palavra poderosa para as pessoas ouvirem! E mesmo perseguido, o cristianismo cresceu tanto que virou a religião oficial do Império Romano.

A mensagem é muito importante, pois é ela que alcançará os corações. Mas vamos falar agora de outra coisa. Do meio de transmissão dessa mensagem, a forma dela conseguir alcançar as pessoas. Vamos falar das pregações da Palavra de Deus que acontecem nos templos, nas igrejas. É certo que existem templos pequenos, para algumas dezenas de pessoas, como também grandes templos, para milhares de pessoas. Para algumas dezenas, um pregador com voz potente com certeza não precisará de ajuda para se fazer ouvir. Mas quando crescemos para centenas e milhares de pessoas, a voz humana não mais conseguirá se fazer ouvir, e será necessário um reforço através de equipamentos. É desse reforço – os equipamentos e sua operação –  que queremos falar.

Aqui cabe um aparte – falamos em "pregador de voz potente". E todo pregador tem voz potente? Não! Há pessoas cheias do Espírito Santo mas cujo falar não alcança nem uma dúzia de pessoas próximas. Se não houvesse os recursos tecnológicos – microfones, amplificadores, etc – com certeza essas pessoas nunca seriam pregadoras. Escolheríamos os pregadores pela potência de voz, e não pelo seu testemunho, pelo seu coração. Não é assim que Deus escolhe as pessoas. Saul foi escolhido porque era belo e o mais alto de todos (I Samuel 9:2). Mas a Obra de Saul não prosperou. Mas Daví foi escolhido por ser cheio do Espírito Santo, e a Obra de Davi prosperou.

Trabalhar com sonorização nas igrejas é algo maravilhoso. O operador de som não precisa abrir sua boca em nenhum momento, mas através do seu trabalho a mensagem é levada para todos os presentes. Se concretiza o que está expresso no verso – a fé vem pelo ouvir – e as pessoas alcançam salvação. O trabalho do servo no som é salvar vidas para Jesus. Da mesma forma que o pregador precisa se preocupar com a mensagem a ser transmitida, o operador de som vai se preocupar com que essa mensagem chegue de maneira bastante inteligível (de fácil entendimento) a todos os presentes. Evidentemente, quanto maior a igreja (e o público) maior a responsabilidade do quesito sonorização.

É muito difícil conseguir que as pessoas que não conhecem ao Senhor venham às igrejas. Algumas pessoas só vão após insistentes convites. São muitas as dificuldades materiais e espirituais que se levantam contra isso. Mas nada pode ser pior que conseguir levar um visitante na igreja e depois do culto a pessoa comentar que não conseguiu ouvir, não conseguiu entender parte (ou mesmo tudo) do que foi falado. É absolutamente normal um visitante, ao entrar em um lugar desconhecido, se sentar em geral lá atrás, no fundo, onde também em geral a sonorização é mais deficiente, seja pelos problemas acústicos do lugar ou por deficiência nos equipamentos. E todos os esforços materiais (convites, telefonemas, ir buscar de carro, etc) e espirituais (oração, jejum, etc) empregados para conseguir levar essa pessoa à igreja foram perdidos por causa de uma falha de sonorização.

Precisamos entender que o serviço de operação de sistemas de sonorização não é meramente aumentar volume e apertar botões. O trabalho é salvar vidas para Jesus! E salvar vidas é um trabalho de muita responsabilidade, que não pode ser feito de qualquer jeito. Pode e deve ser feito da melhor maneira possível, com todos os recursos que pudermos dispor, com todo o cuidado.

Já vi dezenas de cultos que foram "arrasados" por causa de uma sonorização deficiente. Cultos em que ninguém entendeu o que foi pregado, cultos em que o Senhor se manifestou através de dons espirituais mas ninguém conseguiu ouvir nada, cultos em que houve tantas microfonias irritantes (toda microfonia é irritante) que as pessoas não conseguiram prestar atenção em mais nada. Isso não pode acontecer, pois isso acaba com todos os esforços de evangelização. Você, operador de som em igrejas, já imaginou ser cobrado por Deus por causa de vidas que o Senhor queria alcançar mas que não pôde por causa do som, por sua causa?

Um pregador precisa estudar a Bíblia, conhecê-la bem. Um músico precisa também conhecer bem seu instrumento musical. Um cantor precisa conhecer muito bem as nuances da música que vai cantar. E o operador de som? Será que dá para ser apenas um aumentador de volume e apertador de botões? Será que uma leitura do manual do equipamento será suficiente? Tanto quanto os pregadores, os músicos e os cantores – talvez até mais que eles –  o técnico de áudio precisa conhecer muito bem o que está fazendo, precisa estudar, precisa se aprimorar a cada dia, buscando novas soluções, buscando melhorar sempre.

A responsabilidade do técnico de som na igreja é muito grande. O resultado do seu trabalho não é só audível, mas também visível . Uma boa pregação aliada a uma boa sonorização faz o rebanho do Senhor crescer a cada dia.  Mas igrejas que sofrem com sonorização deficiente acabam perdendo almas.

———————————-

Revisado em 13/Mar/2008

Be the first to comment on "A fé vem pelo ouvir."

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Fechar