Audio List: O portal do som, acústica, gravação, sonorização, eletrônica, instrumentos musicais  
 



Monte uma bancada para trabalhos em eletrônica


Biblioteca  »  FAQ  »  Eletrônica  »  Faça-você-mesmo



Descrição: Tudo o que você precisa para ter em sua casa, uma pequena bancada de trabalho e as principais ferramentas e instrumentos
Categoria: Faça-você-mesmo  ::  Tipo: Perguntas e respostas
Data: Dom 02 Jan 11 20:11  ::  Visitas 24128
Palavras-chave: bancada, eletrônica, ferramentas, instrumentos de medição


De: Marcelo Zanon
Data: Qua 13 Dez 06 02:13
Assunto: Bancada Para Consertos de Equipamentos de Audio e RF

Estou pensando em melhorar minha bancada, adquirindo alguns equipamntos novos que possam vir a ajudar na detecção e reparo de equipamentos de audio e RF, Como amplificadores, Mesas de som, Microfones sem Fio, Transmissores de radio. hoje ja conserto esses equipamentos, mas tem alguns problemas que nessecitam de equipametos adequados para uma correta Manutenção, como é o caso dos transmissores e receptores de radio e  amplificadores.

Talvez um ociloscopio e um gerador de funçao me ajudasse com os ampificadores, e quem sabe um frequencimetro para medir RF para outros tipos de conserto, como TV por exemplo?

Hoje possuo em minha humilde bancada:

    1 Multimetro Minipa ET-2042
    1 Multimetro Minipa ET-2082A
    1 Multimetro Analogico
    1 Capacimetro 200pf-20mF
    1 Fonte De Alimentação Caseira Com as Tensoes +5,+12 e saida Simetrica Ajustavel de 1 a 40
    1 Estaçao de solda SMD TOYO
    1 Ferro de solda FAME 25W
    1 Ferro de solda FAME 40W
    1 Amplificador Gradiente 126
    2 alto-falantes 6"
    1 Caixa de Ferramentas
    1 Lampada em Serie 100W (para TVs e Aparelhos de baixo Consumo)
    1 Lampada em Serie 150W (ampificadores Menores)
    1 Lampada em Serie 300W (duas de 150 para Amplificadores Grandes)

Gostaria de algumas dicas ou relatos de equipamentos e circuitos que voces costumam usar em suas bancadas, Qualquer informação será bem vinda.

Desde ja muito obrigado, Até mais..




De: Emerson Prado
Data: Qua 13 Dez 06 13:25

Olá,

Injetor e seguidor de sinais são boas pedidas também. Consistem em um gerador de ondas senoidais, quadradas, etc., com amplitude e frequência variável, e uma ponta de prova com um fone ou coisa parecida, pra você acompanhar o sinal em cada etapa (se não tiver como comprar um osciloscópio).

Ah, uma lâmpada série de potência mais baixa (25W, tal) vai ser útil para alguns casos (fontes em curto, etc.).

Abraços.
Emerson Prado




De: Edu Silva
Data: Qua 13 Dez 06 16:33

Oi Marcelo e todos

Gerador e seguidor de sinais são úteis para trabalhos em campo, mas na oficina, um CD com sinais gravados e um amplificador comum os substituem com vantagens. Veja como fazer seu CD:

http://audiolist.org/forum/kb.php?mode=article&k=25

Como seguidor de sinais, pode usar um amplificador de teste (como esse seu Gradiente) com uma ponta de prova ligada numa entrada AUX. Para isolar a componente DC, basta um capacitor em série. Seu valor deve ser tal que não prejudique as baixas frequências, e deve ser definido em função da impedância de entrada do amplificador. Um cap de poliéster de alguns uF será o bastante. Se quiser proteção contra sobretensões, use um diodo entre a entrada e cada linha e alimentação da seção de pré do amplificador de teste:


               (+) o
                   |
                  _|_
                   ^  diodo
                   |
ponta <-----||-----o-----> entrada do ampli
           cap     |
                  _|_
                   ^  diodo
                   |
               (-) o


Confira se a antrada AUX vai direto ao pot de volume, sem passar em nenhum circuito ativo. Isso é necessário para evitar distorção no sinal em teste, se for alto demais.

Uma ou mais cargas resistivas para amplificadores de áudio (feita com resistência de chuveiro) não pode faltar.

Uma boa idéia é instalar uma caixa pequena em série com um resistor de fio com algumas dezenas de ohms e um eletrolítico bipolar grande (ou dois de 1000uF/70V em oposição), tudo isso em paralelo com a carga fantasma. Assim, você poderá ouvir o que rola durante os testes sem risco de queima e sem falsear os testes.

Mas também devera´ter como caixas grandes para os testes auditivos finais.

Nunca se esqueça de uma boa lâmpada em série profissional, como já mostrei noutros posts. Um artigo completo para baixar:

http://arquivos.audiolist.org/down_db.php?page=get_file&id=73

Monte uma pequena estação de solda, uma verdadeira mão na roda:

http://www.py2bbs.qsl.br/estacao_solda.php

Um osciloscópio é indispensável. Saiba como escolher um:

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=4477

Para áudio, um scope a partir de 10 MHz já serve, sendo 20 MHz o ideal. Duplo traço também é importante, pois permite comparar sinais antes e depois de uma etapa defeituosa.

http://www.if.ufrj.br/teaching/oscilo/intro.html

Uma alternativa simples e econômica para quem pretende apenas visualizar sinais de áudio, é usar um computador como osciloscópio. Não precisa ser um modelo super sofisticado, seu PC velho, guardado no armário, serve.

http://www.ajc.pt/cienciaj/n12/chome.php3

http://www.epanorama.net/links/measuring.html#pcmeasuring

O mesmo PC também pode seu gerador de áudio. Ponha para rodar nele um simples CD com tons de teste gravados, como já sugerí, e pronto. Sem falar que um gerador feito em casa dificilmente terá formas de onda tão perfeitas (baixa distorção) quanto as de um CD de teste.

Outra alternativa é usar o computador para gerar os sinais. Nessa página há um soft bem legal, o SweepGen:

http://www.satsignal.eu/software/audio.html




abraços,
Edu Silva




De: Álvaro jr
Data: Sex 15 Dez 06 08:11

Caro Marcelo, como vai?

infelizmente, o ramo da manutenção eletronica evolui muito nos ultimos 10 anos o que torna o investimento inicial em laboratórios algo complicado.

Um exemplo simples é o fato de as PCB serem praticamente todas SMD e só uma estação de retrabalho mediana (nacional não uma PACE), custa pelo menps 3000,00. por aí você v e que a coisa não é apenas conhecimento e vontade (como no meu tempo a 25 anos atrás). Mas o basico pra audio seria:

    * Gerador de audio ou CD teste (musitec, backstage, ou similar), alias você mesmo pode gravar um com seus próprios sinais.

    * Medidor AC (milivoltimetro RMS). Um multimetro TRUE RMS faz o serviço.

    * Um osciloscopio 20 MHz dual trace ajuda muito, mas você pode usar um micro e uma simples interface com um divisor de tensão.

    * Ferramentas. Pra RF, o bicho pega mais embaixo (no tornozelo pra ser exato), mas você pode começar com;

    * Uma ponta detectora de RF (simplesmente um circuito retificador com diodo Ge, muito simples e muito util), que você acopla a um milivoltimetro DC.


       100pF     47         OA90 (germanio)
<-------||-----\/\/\----o---|>|------o-------O +
                        |            |
                        |           === 10nF
                        |            |
<-----------------------)------------o
                        |            |
                        |           === 10nF
                        |   OA90     |
                        +---|<|------o-------O -

Deve ficar num tubo metálico


    * Cargas fantasma de 50 ohms (muito dificil de se fazer, pois devem ser absolutamente resistivas).

    * Fonte de 13,8V por pelo menos 15A firmes.

    * Medidor de relação de onda estacionaria (SWR ou ROE).

    * Acoplador direcional e um Wattimetro.

    * Gerador de RF.

    * Medidor de intensidade de campo.

    * Um SET de antenas.

_________________
sds
Álvaro JR




De: Edu Silva
Data: Sex 15 Dez 06 15:44

Oi de novo.

Marcelo Zanon escreveu:
Qualquer informação será bem vinda


Lembrei-me agora de uma mensagem que potei na antiga audiolist certa vez, que pode ser útil. Fala da bancada em sí, e da organização da oficina:

http://br.groups.yahoo.com/group/audio_list/message/23732

Vou repetir um trecho aqui:

  • Local: o ideal seria uma sala dedicada apenas a isso, mas não sendo possivel voce precisa de uma mesa de madeira pesada com gavetas e prateleiras e uma estante, pelo menos. O ambiente deve estar sempre limpo e organizado. Tenha caixas e potes de vidro para guardar peças.

  • Ventilação: é imprescindpivel a boa circulação de ar, pois a solda costuma desprender vapores tóxicos (chumbo), sem falar nos solventes, tintas, etc

  • Iluminação: a luz natural é a melhor, mas tenha sempre uma luminaria articulada com lâmpada incandescente (algumas lâmpadas fluorescentes alteras as cores dos componentes).

  • Instalação elétrica: pegue um cabo direto de uma tomada próxima (ou seja, sem usar plug, parafuse os fios em seus terminais) sem uso. Ponha um disjuntor 10A como chave geral. Distribua várias tomadas ao longo da bancada, embaixo do tampo. Um terra é bem vindo (veja dicas na FAQ/eletricidade).

  • Ferramentas: voce precisa do básico - um trio de ferros de solda (um pequeno, um médio e um grande), chaves de fenda, etc etc... Hoje em dia é facil encontrar conjuntos completos numa maleta com quase tudo que voce precisa, por preços acessíveis.

  • Instrumentos: um multímetro (pegue um com teste de diodos, transistores e continuidade, pelo menos) é o principal, e existem modelos que medem capacitância e indutância - embora a precisão dessas medidas não seja grande, ajudam muito. Uma lâmpada série tambem deve estar presente, e se possivel um variac (transformador regulador manual de tensão da rede). Vai precisar também de uma fonte de sinais de teste (um CD portátil) e caixas de som, alem de um pequeno amplificador de teste (pode ser uma caixinha de computador). Um osciloscópio seria fantástico, se o orçamento permitir (existem aparelhos usados a preços razoáveis). Se o computador estiver por perto, voce pode instalar softs que o transformam numa central de análise, como discutimos aqui bem recentemente.

  • Literatura e arquivo: uns livros básicos sobre eletronica, manuais de equivalência (valvulas e transistores), esquemas, etc... Mantenha anotações sobre os aparelhos que voce encontrar (tensões, defeitos, etc), isso vai ajudar quando se deparar com outro no futuro.


Faça você mesmo um painel de ferramentas:

http://www.bdhobby.com.br/bric/proj/PainFerr/PainFerr.asp

E aqui, planos para uma bancada completa (medidas em polegadas):


bancada          bancada




Este artigo, em português, é muito bom, não deixe de ler. Ensina tudo o que se precisa saber para montar uma bela bancada para trabalhos em eletrônica:

* Sua Bancada de Eletrônica


       


           



* Como aproveitar melhor algumas ferramentas:





Sobre consertos em equipamento de RF, não basta ter os instrumentos (que não são poucos nem baratos). É preciso conhecer bem o ramo, mais complexo que o áudio. Sugiro muito estudo antes de se enveredar nesse campo, ou poderá se arrepender.



Links úteis:

http://loja.audiolist.org/?p=p_18&sName=eletro-eletronica

e

http://loja.audiolist.org/?p=p_5&sName=eletronica

_________________
Edu Silva



Nova série de mensagens


De: Anderson Guizan Silva
Data: Sáb 25 Out 08 15:45
Assunto: Estação de retrabalho por R$ 45,00 !!!

Boa tarde a todos.

Conversando com um cliente em uma loja de eletrônica aqui no Rio de Janeiro fiquei sabendo da sugestão encontrada em um site para construção de uma estação de retrabalho (dessoldagem) utilizando material alternativo. Me propus a montar a geringonça e olhem só no que deu:



estação de retrabalho


Estação de retrabalho
(clique para ver em tamanho maior)


    - A montagem foi feita utilizando um ferro de soldar de 50 W do qual retirei a ponta e preenchi o espaço onde ficava a haste da ponteira com palha de aço fina criando assim um trocador de calor.

    - Na parte superior do tubo metálico do ferro fiz um pequeno orifício e instalei ali um pequeno pedaço de tubo de cobre capilar curvo para receber a mangueira do motor de aquário. O ferro tem que ser desmontado e a ponta do tubo metálico que fica para dentro do cabo do ferro tem que ser tampada o melhor possível para que o ar não escape da câmara quente (interior do tubo metálico do ferro).

    - Na extremidade onde ficava a ponteira instala-se um pequeno pedaço de tubo capilar que também terá que ser muito bem vedado para não permitir vazamentos de ar quente.

    - O ferro é ligado normalmente à rede e depois de aquecido liga-se o motor de aquário que passa a bombear ar para dentro da camara quente onde é feita a troca de calor do ar com a palha de aço e assim o ar sai quente o suficiente para dessoldar pequenos componentes.

Agora vou aperfeiçoá-la, mas quem quizer montar uma estação de retrabalho gastando algo em torno de R$ 45,00, está aí a sugestão.

Abs,
_________________
Anderson Guizan Silva



Nova série de mensagens


De: Marcos Paulo Mantonavi
09/02/02 08:44
Assunto: [Audio List] Carga resistiva

Alguém teria algum esquema para uma carga resistiva para teste de amplificadores, que seja de 2, 4, 8 ohms pôr uns 500 watts.

Marcos Paulo Mantonavi
Curitiba - Paraná - Brasil




De: "Brayner"
Data:

Um esquema é associação de resistores de fio até conseguir a potência desejada, já montei uns 20 resistores de fio para conseguir uma carga de teste para fontes DC no caso a refrigeração dos resistores era feita por água gelada... Os resistores esquentavam pacas!




De: Edu Silva
qui 10:39

Para pequenas e médias potências, pode associar resistores em paralelo até atingir o valor desejado. Precisam ser de fio, sendo que a potência final será a soma das potências individuais. Porém, existe um truque que pode fazer a potência dissipada ser bem maior:

Solde os resistores deverâo um ao outro com solda de alto ponto de fusão, ou parafuse-os um ao outro de forma a sustentarem a si próprios. Coloque o conjunto numa lata metálica pequena, encha com areia lavada, seca e bem fina, e feche bem. A areia agirá como condutor de calor, que será então transferido para o corpo da lata, que servirá de dissipador. A eficiência na condução do calor gerado pelos resistores (e por consequência a potência máxima suportada pelo conjunto) aumenta muito, com esse pequeno truque. Se ainda assim a carga esquentar demais, pode usar ventilação forçada ou imergir o conjunto em água corrente.

Para potências maiores (milhares de watts), use resistência de chuveiro (são feitas do mesmo material dos resistores), basta que meça sua resistência e corte do tamanho adequado. Deixe mais ou menos esticada, para reduzir sua indutância.


resistência de chuveiro

Resistência de chuveiro usada como carga resistiva


Edu Silva




De: Rosalfonso Bortoni
qui 09:46

Prezado Paulo,

Use resistências de chuveiro. Veja a potência e a tensão especificadas e calcule o valor da resistência. Faça associação série-paralelo e obtenha os valores desejados. Não se esqueça de manter as resistência embaixo d'água. Use recipiente plástico, para não curto-circuitá-las.

Rosalfonso




De: "alvreg" <alvreg§yahoo.com.br>
12/02/02 21:40

Use resistencias de chuveiro eletrico, use varias e faça associações que quiser. Para uso amador e semi-pro, elas servem muito bem. Se quiser tambem pode usar um cooler para mante-las refrigeradas ou um recipiente com agua mesmo (de preferencia bidestilada e filtrada), ou se conseguir, oleo soluvel e trocador de calor.

Álvaro JR




De: Anderson L. Rodrigues
qui 21:42

Tenho por volta de 4000 W, seria ótimo uma destas =), mas o preço... menos de R$20,00 e deve ter na "loja da esquina", não acredita? Faço manutenção de amps de + de 5000 W e já passei um sufoco ate consequir o mais simples e eficiente. Consegui esta solução em uma consulta ao Rui Monteiro da Studio R, que prontamente me ajudou.

Adquira uma "Resistência de Chuveiro Elétrico", da Corona, de 4400W x 220V (aproximadamente 11 ohms) e faça a seguinte adaptação:

Ache com um teste confiável, 4 ohms de um polo até um ponto na espiral, ai faça umá derivação com a porção seguinte do proprio espiral, sem interromper a resistencia. Estique uma porção e leve internamente a um dos terminais e enrole e solde. Confira o valor do terminal inicial até o novo ponto e se tiver 4 ohms, tá OK. Faça o mesmo com o restante da resistência e terá dois pontos de 4 ohms com o - no centro ou um de 8 ohms com os extremos ou um de 2 ohms colocando os extremos em paralelo (+ ou - 4000W).


(O)--/\/\/\/\/\/\--(O)--/\/\/\/\/\/\--(O)

4R                  0                 4R


Não esqueça de colocar imerso em um recipiente com água, pendurado fica ótimo. Quando não usar, retire da água para evitar a corrosão das soldas nos terminais e fios.   Estou usando ha oito meses e só troco a água e um lubrificante de vez em quando...

Anderson L. Rodrigues
Múlti Áudio




De: "Leonardo Rangel Coelho" <coelho.leonardo§ig.com.br>
Data: Sáb, 16 de Fev de 2002 2:47pm

Tenho acompanhado este assunto e gostaria de saber no que consiste este teste, o que é feito?




De: Edu Silva
sáb 19:29

Oi, Coelho

A carga resistiva é apenas um resistor que é ligado na saída de um amplificador (no lugar das caixas) para medidas de potência e testes de funcionamento.

Edu Silva




De: "Eduardo Schoedler" <schoedler§bol.com.br>
qua 16:24

Não entendo muito de resistências, mas ouvi falar que existe uma grande diferença entre a resistência e impedância que um sistema de falantes gera. Como seria essa diferença (resistência/impedância) e como calcular a impedância? A resistência eu consigo medir colocando um multímetro na ponta dos cabos dos falantes (ligados em paralelo).




De: "luifocy2002" <luifocy2002§yahoo.com.br>
qui 04:49

Olá Eduardo.

A carga resistiva deve-se única e exclusivamente à resistência ôhmica da bobina móvel do falante. Este valor não varia com a freqüência.

Já a impedância deve-se à mesma resistência (R) combinada com a indutância (L) e com a capacitância (C). Para calcular o valor você precisa medir R, L e C, o que se faz com uma ponte LCR. Alguns multímetros possuem o recurso. Como o valor da impedância varia com a freqüência, faça várias medições de L, C e R, cada conjunto associado a uma dada freqüência. Construa um gráfico (ohms x hertz) para representar a curva levantada. Por definição, a impedância nominal do sistema de falantes é o valor mais baixo indicado no gráfico.

Luiz Fernando Otero Cysne.



Nova série de mensagens


De: Carlos Carvalho
Data: Qui 06 Abr 06 22:39

Olá

Peguei um amplificador valvulado Giannini para conserto. Estou dando um grau no chassi que estava simplesmente deplorável. O aparelho está funcionando, mas gostaria de saber se o trafo de saída tem como ser medido. Curiosidade.

Outra: Num tópico aqui no fórum, li como tem que testar depois de pronto - com lâmpada de 20 w e depois de 60 w (se não me engano) em série. Só por curiosidade, qual a diferença de testar com uma e com outra? Teoricamente, com a de 20 w ficaria mais 'sensível', creio eu. Mas qual seria a explicação disso?

Valeu!

Carlos Carvalho
Estúdio 11 (São Paulo - SP)




De: Edu Silva
Data: Sex 07 Abr 06 19:13

Olá Carlos

(...)

Citação:
li como tem que testar depois de pronto - com lâmpada de 20 w e depois de 60 w (se não me engano) em série.


A lâmpada em série funciona como um limitador de corrente: quando o consumo do amplificador sobe acima do esperado (devido a um curto ou outro desarranjo qualquer), a corrente que circula por ela sobe, fazendo-a acender. Nessa condição, apresenta uma resistência relativamente alta, tomando para sí boa parte da tensão da rede, evitando maiores danos ao amplificador.


lâmpada em série


Normalmente se usa um lâmpada com potência cerca de 2 vezes o consumo do amplificador em repouso. Por exemplo, num ampli de potência cujo consumo quiescente é de 50 W (há essa informação no manual), usamos uma lâmpada de 100 W. Para maior segurança, podemos testar de início com uma menor e se tudo correr bem, passamos para a de 100 W.

Se não sabe o consumo do aparelho em repouso, simplesmente ponha uma lâmpada pequena e observe: num aparelho em bom estado, ela deve acender bem fraca (ou nem acender). Se o brilho for mais forte que isso, troque por uma mais potente. Continue assim até que a lâmpada escolhida acenda muito fracamente. Se tudo estiver OK com o aparelho, ligue-o direto na rede.

(obs: o normal é a lâmpada apresentar brilho forte quando ligamos o aparelho, mas logo esse brilho cai até quase desaparecer)

Uma lâmpada pequena (baixo consumo) apresenta uma resistência mais alta, limitando mais o consumo e protegendo melhor - mas se o consumo normal do aparelho for alto (superior a umas 3 vezes a pot da lâmpada), ela acenderá à toa, impedindo o funcionamento correto. Por isso precisamos dimensionar a lâmpada de acordo com o aparelho.

Para quem trabalha no ramo, é bom ter uma "lâmpada em série profissional", um aparelho que consiste numa caixa com diversas lâmpadas e uma chave que as seleciona. Assim, podemos ter uma grande gama de potências à disposição. Como nesse esquema (clique para ver em tamanho maior):



lâmpada série



Usa apenas 4 lâmpadas para simular 9 potências diferentes. A comutação é feita por meio de uma chave de 10 posições, um punhado de diodos e 4 relês. A fonte (que deve ser de tensão compatível com os relês) não aparece no esquema, mas qualquer eliminador comprado no camelô resolve.

Um artigo completo para baixar:

* Lâmpada série profissional
http://arquivos.audiolist.org/down_db.php?page=get_file&id=73

Um site legal, com algumas dicas úteis:

* Rádio Restauro
http://www.aminharadio.com/radio/menu_radiorestauro


abraços,
Edu Silva




De: Ricardo Caetano
Data: Qui 05 Abr 07 20:25
Assunto: Lâmpada série

Estou com dificuldade em resolver um tipo de defeito que esta acontecendo com certa frequencia em ampli que recebo para conserto. Eu troco o(os) fusivel(eis) os transisitores de saida e os resisitores, ligo o ampli na lampada serie e apresenta alto consumo. Sempre coloco o resistor de carga na saida com o osciloscopio e um sinal de 1 kHz na entrada. Quando desligo a carga a lampada serie diminui o consumo, retorno o resistor ou falante e a mesma passa a funcionar normalmente mas quando desligo o aparelho por algum tempo (uns 3 min) eu volto a ligar o mesmo apresenta o mesmo defeito.

Tenho visto grandes especialistas neste assunto, por favor me orientem.




De: Edu Silva
Data: Sex 06 Abr 07 16:13

É assim mesmo que a lâmpada funciona.

Quando o amplificador é ligado, os capacitores da fonte estão descarregados e "puxam" muita corrente da rede, fazendo a lâmpada se acender. A medida em que eles se carregam com a tensão retificada do trafo, a lâmpada reduz sua luminosidade e assim permanece enquanto não houver sinal. Se você desliga o aparelho, os caps começam a se descarregar, e ao religar, o processo recomeça.

Para evitar que isso aconteça, você deve usar uma lâmpada adequada, com potência compatível com o consumo do aparelho. Quanto mais "pesado" o ampli, maior deve ser a lâmpada. E não ligue-o com carga e sinal: primeiro acione o ampli e espere a lâmpada reduzir o brilho, e só depois aplique a carga e o sinal - mas em baixo nível, ou a lâmpada acenderá e limitará a tensão no amplificador.

Edu Silva




Alguns equipamentos simples




Com um multiteste comum, na faixa de milivolts, ajuste a sensibilidade no potenciômetro de 5k (ou 4k7). O valor medido deve ser zero ou o mais próximo disso, para diodos casados.

Os resistores de 100 ohms devem ser de precisão (1%, mesma resistência) e os diodos em teste devem estar sob a mesma temperatura (encostados um no outro). Qualquer diferenca de temperatura entre os dois irá acarretar em desequilíbrio na ponte de medição, falseando a leitura. Pegue com uma pinça, e espere um tempo até sua temperatura normalizar, antes de medir.



Tópicos relacionados


http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=2509

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=600

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=7339

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=1825

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=6495

http://audiolist.org/forum/viewtopic.php?t=4477






Vídeos relacionados



Link



Link



Link



Link



Link



Link



Saiba mais


Biblioteca  »  FAQ  »  Eletrônica  »  Faça-você-mesmo
Compartilhe

 Navegação 

Powered by Knowledge Base MOD, wGEric & Haplo © 2002-2005
php.com MOD


                     jáCotei, o seu comparador de preços!        anuncie no maior portal de áudio pro do Brasil       

Hospedagem Opticalhost | Powered by phpBB © 2001, 2008 phpBB Group | Política de Privacidade