Audio List: O portal do som, acústica, gravação, sonorização, eletrônica, instrumentos musicais  
 



Microfonação e Mixagem de Bateria: Caixa, chimbal (hi-hat) e tons


Biblioteca  »  FAQ  »  Captação, processamento e mixagem - em estúdio e PA  »  Instrumentos Musicais e Vozes  »  Acústicos



Descrição: Aprenda a captar e gravar a caixa, chimbal (hi-hat), tons e surdo da bateria, no home studio e PA
Categoria: Acústicos  ::  Tipo: Perguntas e respostas
Data: Sáb 20 Nov 10 17:51  ::  Visitas 9752
Palavras-chave: caixa, chimbal, hi-hat, tom tom, surdo, bateria


De: "Dinho Braga" <dinhobraga§ig.com.br>
Data: Ter, 17 de Set de 2002 3:11 am
Assunto: Equalização para caixa da bateria...

Estou tentando gravar uma batera acústica em meu home-studio e procurei algumas dicas na faq e não encontrei. Será que alguém pode me dar essa dica?

Grande abraço a todos,

Dinho Braga
Manaus AM




De: Edu Silva <bahi0387§terra.com.br>
ter 22:12

Antes de mais nada:

A caixa precisa ser de boa qualidade, com peles novas e bem afinada. Muito da qualidade do som da caixa vem de uma boa afinação. O baterista tambem precisa ser bom, de tecnica apurada e com boas baquetas (adequadas ao tipo de musica a ser gravada, e novas). Sem tudo isso, não espere bom resultado de sua gravação.

http://audiolist.org/forum/kb.php?mode=article&k=211

Afinação e abafamento andam juntos e pode ser preciso refazer a cada musica gravada. Mas cuidado - se voce abafar demais, jamais conseguirá tirar som pesado, a menos que procure justamente isso: uma caixa "magra".

Ouça o som da caixa antes de gravar. Trabalhe bem os itens acima, e só passe para a próxima etapa (microfonação) quando nada mais puder ser feito. Equipamento nenhum faz milagre.

Microfonação:

Voce precisa de 2 microfones - um para a pele superior (o mais importante) e outro para a esteira, embaixo. Os mais usados são os shure SM57 - um padrão de mercado -, mas nada impede que se tentem outras marcas. Já discutimos bastante esse tema aqui.


microfonação da caixa da bateria


O segundo mic (inferior) costuma ter sua polaridade invertida (seja atraves da chave existente para esse fim no canal da mesa, seja atraves de um cabo com os pinos 2 e 3 trocados, ou atuando no respectivo comando no soft de gravação). Esse precaução se deve ao fato de que as peles vibram de forma contrária em relação ao corpo da caixa: enquanto uma "entra", a outra "sai". Ao somar o som captado pelos microfones, eles tenderão a se anular mutuamente, pois estarão invertidos.

Mas não leve essa orientação como dogma: experimente, e poderá descobrir que misturando os microfones na mesma polaridade, voce encontre o efeito que procura.


O mic superior deve estar entre 3 e 5 cm de distância da pele. Inicie com ângulo de 45º e vá variando o ângulo, até encontar o melhor timbre.  A distância da capsula à borda (aro) varia de acordo com o timbre desejado:

  • Quanto mais próximo do centro, mais o "corpo" da caixa se faz presente;

  • Próximo à borda, temos mais o som da pele (harmônicos) e o "estalo" da bagueta contra ela.

  • Se apontarmos o mic diretamente para o aro (ou mesmo p/ o corpo de melal), o maximo de estalo esrá captado. Cuide para que o mic fique sempre de costas para o chimbal, minimizando o vazamento deste na caixa.

  • O mic inferior capta a vibração da esteira, muito importante em pop/rock. Deve estar apontando diretamente para ela.


Um exemplo de posicionamento dos microfones e indicações de onde é emitida cada caracteristica do som da caixa. São mostrados quatro mics, mas claro que bastam dois: um na pele superior e outro de acordo com a necessidade.


microfonação de bateria


Se não pode dispor de mais um mic para a esteira (cuja escolha não é critica, pode ser praticamente qualquer dinâmico cardióide), trate de conseguir o melhor possivel com o unico microfone. Em muitos casos, esse sgundo microfone nem é necessário, como em música mais "light": jazz, bossa, etc. Nesses estilos, é comum gravar com apenas 2 ou 3 mics, para toda a bateria.


Finalizando: É muito importante a "passagem de som" antes de gravar (ou do show). Peça ao batera para tocar o instrumento, com diversas baguetas diferentes, em diversas intensidades. Teste o resultado com o kit inteiro tambem, toas as peças precisa estar em harmonia.

Edu Silva



Nova série de mensagens


De: Zeus Troia
Data: Ter 27 Mai 08 01:13

Olá para todos.

Gostaria de saber se aqueles agudos do chimbal presente em gravações de bandas de forró famosas, se alguém pode me dizer o que eu faço para conseguir aqueles agudos? Os agudos estão chegando legal, analizei com espectrograma. Estão chegando, mas não os que eu quero.

A bateria do meu estúdio é Pearl com prato de chimbal, Sabian. Usei um microfone Shure SM57. Estou usando cabos importados, que dizem que são os melhores. Não estou usando pré, mando direto na mesa. Minha mesa é digital, mas não daquelas caras, ela é mais baratinha.

Será que é falta de equalização? Há algum preset de equalização de chimbal de forró? Já fiz de tudo e não consigo tirar, nem com os melhores microfones, será que é algum macete na bateria?

Socorro!

Desde já agradeço.
_________________
Genilson Aparecido




De: Edu Silva
Data: Ter 27 Mai 08 15:21

Para captar bem todos os agudos do hi-hat, precisa de um condensador de diafragma pequeno ou eletreto, com muito boa resposta aos agudos. A marca e modelo não são muito importante, praticamente qualquer um servirá. Experimente com os que tiver à disposição. Se você não tiver nenhum, visite os sites dos fabricantes e veja o que eles tem a oferecer. As opções são muitas.

Mics dinâmicos não servem. Esse SM57 não tem boa resposta em agudos, não foi feito para isso - quem diz é próprio fabricante.





Troque o SM57 por um mic de condensador com boa resposta em agudos e posicione-o corretamente - esse ponto é muito importante. Muita gente faz errado, colocando o microfone ao lado do chimbal, e com isso capta o "vazamento" de ar que sai dentre os pratos, quando se fecham.

Faça como no desenho:





O mic deve estar a 5 cm acima da borda dos pratos. Se quiser, pode apontar um pouco mais para o centro, mas o som será menos agudo assim. Tenha sempre o cuidado de deixar o microfone numa posição que capte menos o som da caixa - faça com que o chimbal fique entre um e outro. Use sempre o low-cut.

Não acredite no analisador, e sim em seus ouvidos. Não importa se o computador diz que está certo, se você não gosta, está errado!

Equalize da maneira mais óbvia: corte graves e daí em diante, vá testando diversas equalizações e acompanhando com seus ouvidos. E desligue o analisador, ele não sabe de nada.  

_________________
Edu Silva



Nova série de mensagens


De: Christiano Costa
Data: Sáb 29 Jul 06 12:06
Assunto: Microfonação de Caixa de Bateria

Olá.

estive lendo a faq antiga sobre captação de caixa e já usei todas as técnicas para evitar que o mic da caixa capte o chymbal e mesmo assim ainda pega um pouco, e pega tambem um pouco do bumbo. até aí tudo bem, mas o problema é na hora de aplicar reverb na caixa, fica estranho porque entra no chymbal captado pelo mic da caixa. O que faço?

E sobre a captação da esteira, devo captá-la flat? Ou é melhor cortar os graves?

_________________
Christiano Costa




Edu Silva
Seg 31 Jul 06 09:17

Christiano Costa escreveu:
na hora de aplicar reverb na caixa, fica estranho porque entra no chymbal captado pelo mic da caixa.


Primeiro é bom lembrar que o mic deve ser direcional (cardióide ou hiper) e posicionado bem próximo à pele da caixa, e de costas para o chimbal (hi-hat).



Como disse o Sérgio, um gate pode ser aplicado, abrindo-se apenas quando há o sinal da caixa. Mas para evitar que soe artificial, a saida dele seve ser endereçada apenas ao efeito, e não ao master. Você ainda terá o chimbal, mas sem vazar para o reverb. Bem mais natural, assim!


                 caixa sem vazamento     reverb sem vazamento
                         |                    |
                         |                    |
                   ____  V  _______________   V
               ,--|gate|---|reverb 100% wet|--,
              /   |____|   |_______________|   \
             /                                  \      caixa com
caixa com --<                                    >---> reverb mas
vazamento    \                                  /      sem vazamento
              \                                /
               '------------------------------'



Citação:
E sobre a captação da esteira


Use o low-cut! Aliás, no outro microfone (pele superior) também deve ter os graves cortados, a menos que a caixa seja daquelas bem fundas (caixa de guerra). Ajuda a rejeitar o bumbo. E não esqueça de inverter a polaridade desse mic, seja no cabo, na mesa/pre ou no software.

_________________
Edu Silva




Christiano Costa
Seg 31 Jul 06 11:13

Desculpe a minha ignorância Edu, mas como faço esse endereçamento, pois uso gate e reverb de plugin, e o reverb sempre num auxiliar. Colocaria um gate e um reverb nesse auxiliar e os enviaria para caixa através de um bus?




Edu Silva
Qui 03 Ago 06 08:19

Oi

Sim. Envie o sinal da caixa ao reverb por meio de um AUX, e inserte o gate no caminho, logo antes do reverb. A maneira exata de fazer isso vai depender de seu software, consulte o manual ou help.

A mesma dica serve para PA, com períféricos reais ou numa mesa digital.

Mas lembre que seu sucesso vai depender do ajuste correto dos parâmetros do gate, em especial do threshhold.

_________________
Edu Silva




Richardson Azevedo
Qui 03 Ago 06 12:09

Olá. Bem, não sei se entendi bem o que o Edu disse, mas acho que seria mais ou menos assim: Usando o Sonar 4,por exemplo, insira um BUS, nele insira um GATE no campo FX elogo após o GATE o REVERB. Depois, vá lá no trak da caixa e enderece a saída para o BUS que você inseriu, ao invés de endereçar para o MASTER.

Não sei se é bem isso que o Edu quiz dizer, mas sempre faço e o resultado fica muito bom.

Agora, será que esse GATE e o REVERB não poderiam ser adicionados ao Effect Send, e depois endereçar o Track da caixa pra lá? Acho que dá no mesmo.

Valeu!




binhozm
Ter 19 Set 06 00:52

chis, costumo gravar a caixa ja previamente equalizada, porem sem nenhum tipo de gate ou compressor. prefiro fazer o conserto na "mão" na propria wav do canal gravado... o problema é só quando o batera da as famosas notas "fantasmas", aquelas "derubadas" de baqueta na caixa... dai é dor de cabeça na certa.

acho que é isso: prefiro perder um tempinho apagando a sujeira do que ficar perdendo mais tempo em um gate.

abraço

_________________
Binho



Nova série de mensagens


De: Leonardo Rodrigues
Data: Seg 02 Out 06 20:29
Assunto: Duvida sobre a falta de inversão da polaridade...

Olá, gostaria de saber qual é o problema se não inverter a polaridade dos mics na caixa? Quero dizer, o que realmente estarei perdendo?

_________________
Atenciosamente
Leonardo Ferreira Rodrigues de Morais




Edu Silva
Qua 04 Out 06 12:01

A necessidade de inversão no mic da esteira é fácil de se entender. Quando a baqueta atinge a pele de cima, esta pele "entra" da caixa, aumentando a pressão do ar lá dentro. Com esse aumento de pressão, a pele inferior (da esteira) "sai", realizando um movimento contrário ao da pele superior. As vibrações seguintes nas duas peles se dão da mesma forma: enquanto uma "entra", a outra "sai" (*). Vibrações invertidas, cada uma captada por um microfone.

E o que acontece quando você mistura dois sinais iguais, porém invertidos? Eles se anulam. Na prática, o som da caixa não desaparece por completo, claro, mesmo porque os sinais não são idênticos. Mesmo assim, não invertendo um dos mics ao mixar os dois, você perde o peso e impacto do instrumento.

Para fazer essa inversão no PA, basta usar no mic da esteira, um cabo com as ligações dos pinos 2 e 3 de um (apenas um) dos conectores invertidas. Ou usar o respectivo recurso na mesa ou (em estúdio) no software de gravação (flip polarity ou algo assim), no canal deste mic.


(*) Nota: na verdade, o movimento das peles de um instrumento de percussão é muito mais complexo que isto, mas vale a idéia.

_________________
Edu Silva




Leonardo Rodrigues
Qua 04 Out 06 20:45

Ok, entendi a parte da necessidade da inversão, Primeiro posso dizer então que se não inverter a polaridade estará acontecendo um cancelamento de fases?

E gostaria de saber em que casos na gravação além da inversão na caixa geralmente também é necessário a inversão de polaridade numa gravação "geral"(Banda completa)? Seria sempre que houver dois mics em posições opostas num determinado instrumento?

Desde já Obrigado

_________________
Atenciosamente
Leonardo Ferreira Rodrigues de Morais




Edu Silva
Sex 06 Out 06 11:03

Oi

Citação:
se não inverter a polaridade estará acontecendo um cancelamento


Sim. Mas na prática, este cancelamento não é total, uma vez que isso só ocorre quando os dois sinais são idênticos. Mas há um cancelamento parcial, que é maior nas baixas frequências.

Citação:
em que casos na gravação além da inversão na caixa geralmente também é necessário a inversão


Em situações semelhantes à da caixa. Por exemplo, na zabumba. Outro caso é quando captamos o amplificador de guitarra com um mic na frente e outro por trás.

Mas há ocasiões em que precisamos inverter a polaridade de um mic, sem que exista outro no mesmo instrumento. Um exemplo é o mic do bumbo: as vezes os outros mics da bateria captam muito "vazamento" do bumbo, mesmo com o low-cut na mesa ativado. Pode ocorrer então, o cancelamento em algumas frequências, fazendo o som do bumbo perder parte de seu peso. Invertendo a polaridade de seu mic, o problema pode desaparecer (ou não, pois nem sempre sua origem é essa).

Em PA, as vezes também vamos precisar inverter o bumbo, mas por outro motivo: o cancelamento aqui pode ocorrer entre o bumbo e vazamento e graves vindo do PA e/ou retorno. Inverter o mic do bumbo pode trazer de volta o grave perdido.

_________________
Edu Silva




Leonardo Rodrigues
Sex 06 Out 06 19:56

Olá Edu, muito obrigado, mas lá vai mais: é aconselhavel inverter sempre a polaridade do Bumbo e esteira da caixa em gravações no Estudio?

E a inversão da fase depois de gravado funciona? Por exemplo gravar a caixa por exemplo com dois mics separados ou seja monos, em pistas diferentes e depois inverter a fase de uma pista no softwere?

_________________
Atenciosamente
Leonardo Ferreira Rodrigues de Morais




Edu Silva
Sáb 07 Out 06 09:44

Oi gente

Citação:
é aconselhavel inverter sempre a polaridade do Bumbo e esteira da caixa em gravações no Estudio?


Nem sempre. Foi por isso mesmo que eu disse na última mensagem: "Invertendo a polaridade de seu mic, o problema pode desaparecer (ou não, pois nem sempre sua origem é essa)".

Você deve experimentar e ver se dá certo caso a caso, esqueça as "receitas de bolo". Por exemplo, às vezes inverter os overs ou mics de ambiência pode ajudar (sem mexer no bumbo), experimente.

Voltando à caixa, às vezes o som dela pode ficar melhor se fizer o contráio: deixar o mic inferior (esteira) com a polaridade certa e inverter apenas o mic superior. Ou simplesmente deixar a esteira com a mesma polaridade da caixa. Pode conseguir um timbre diferente, adequado a aquela situação em particular.

Faça experiências e descubra.

Citação:
E a inversão da fase depois de gravado funciona?


Claro, é assim que se faz no estúdio (veja que eu mencionei o recurso flip polarity do software, na outra mensagem). O uso do cabo especial ou chave de inversão da mesa é mais comum em PA.

Obs: é preciso tomar cuidado com cabos invertidos, marque-os muito bem para evitar confusões com os cabos normais.

_________________
Edu Silva



Nova série de mensagens


De: Edu Silva
Data: Ter 11 Mai 10 22:05
Assunto: Snare Drum Microphone Technique

Este interessante vídeo demonstra como a posição do microfone influi no timbre do instrumento.



Link


_________________
Edu Silva




Marcos Lopes
Qua 12 Mai 10 11:31

Quanto mais longe da pele batedeira maior a captação do ambiente e da esteira (farfield). Na prática, numa bateria, deve ser complicado afastar muito o mic por causa do vazamento entre outros tambores.

Lembro de uma foto da bateria do John Bonham com a caixa microfonada em cima e em baixo.

_________________
Abraços,
Marcos Lopes.
Niterói, RJ




João Paulo
Qua 12 Mai 10 13:58

A posição do microfone influencia tanto que quando monto um som e estou com tempo, após a bateria estar devidamente afinada, peço pra alguém abrir o canal de determinada peça da bateria no monitor e deixar o canal flat, eu mesmo vou batendo e posicionando o microfone até atingir o melhor timbre, assim faço com todas as peças da bateria.

Feito isso, vou à mesa de PA e peço pro batera passar a bateria efetivamente e muitas vezes a maioria dos microfones ficam flat.

_________________
Um abraço,
João Paulo




Edu Silva
Sex 14 Mai 10 20:44

Marcos Lopes escreveu:
numa bateria, deve ser complicado afastar muito o mic por causa do vazamento entre outros tambores.


Mas fica legal quando captamos a bateria toda, assim. Um par distante, numa sala de boa acústica, e às vezes, mais um mic no bumbo, e tá feito.

Citação:
Lembro de uma foto da bateria do John Bonham com a caixa microfonada em cima e em baixo.


Esse que pega a caixa por baixo, capta a esteira. Assim:



Link



_________________
Edu Silva



Vazamentos e sons indesejáveis



De: fsixel§ig.com.br
30/07/02 16:17
Assunto: [Audio List] Gravação de bateria

Por não ter experiencia previa estou encontrando dificuldades em gravar uma bateria: todos os microfones vazam nos outros. O bumbo eu estou pondo um saco de dormir em cima e esta ficando bom, porem não sei insertar o gate para os outros microfones.




De: "lucianoallgayer" <estudioa§zaz.com.br>
30/07/02 18:54

Fixado amigo, fique tranquilo!

Gates são periféricos opcionais para gravar Bateria, não existem regras que determinem obrigatoriedade no seu uso. Eu particularmente "enxergo" a bateria como um intrumento musical, e quando gateada transforma-se num conjunto de instrumentos musicais. Uso apenas compressos/limiter e alguns dBzinhos no EQ.

Eu aconselho voce a gravar ela no seco e sem gate, primeiro para adquirir a experiencia que voce quer, ouvir o som do intrumento e como soa na sua sala. Depois adquira mas experiencia usando seus os periféricos. Assim voce não corre o risco de "sufocar" as peças da batera e deixar ela respirar.

Lembre-se nossos ouvidos ouvem a batera na totalidade, soa tudo junto. Qual o problema de um vazamento aqui e outro lá? Não torna tudo mais natural?

Luciano Allgayer
Baterista, produtor, Protoolsmaníaco (mas sem gate)



Nova série de mensagens


De: "Daniel Freitas" <danielfreitaspereira§hotmail.com>
17/03/03 02:08
Assunto: [Audio List] Esteira da caixa - vibrações indesejaveis

Na gravação da bateria estou experimentando o uso do microfone na esteira da caixa (até então nunca tinha utilizado) usando de todos os conceitos aprendidos aqui pela lista. Senti uma melhora incrivel no som da mesma.

Porem me encontro com o seguinte problema: ao bater em qualquer outro tambor a esteira é excitada gerando seu som caracteristico. Isso ocorre de tal forma que se eu desgrudar a esteira da pele tenho um som bem diferente, principalmente do bumbo, ou seja, tenho o som real do bumbo. É como se todos meus tambores estivessem com uma esteira atras (é claro que com menor intensidade do que a caixa). Isso prejudica bastante, principalmente na gravação.

Consegui um resultado legal utilizando um artifício para corrigir este problema via software, que foi um gate no canal da esteira tendo como referência o canal da pele de cima da caixa. Assim o som da esteira só aparece quando bate na caixa, e fica muda quando o bumbo ou tom são batidos (a não ser que batam na caixa ao mesmo tempo). Mas pra piorar eu só consegui isto utilizando o SawStudio (que possui compressor/ gate embutidos na mixer virtual e possibilita usar outros canais como referencia) mas só tenho a versão demo e o software é caro pra cacilda! No caso possuo o N-TrackStudio, que não consegue fazer isso, pois utiliza compressor tipo plugin.

Bem, voltando a causa do problema, alguem poderia me dar alguma dica de como evitar que a esteira se excite com os outros tambores (que não a caixa)?? Já tentei mexer na afinação dos tons e nada... Mexi na afinação da caixa tambem e nada... Será que minha esteira está ruim? Ou isto é comum de acontecer mesmo? Só para constar, minha bateria é uma Pearl modelo export series.

Daniel Pereira




De: "Marcelo Cruz" <cellocruz§uol.com.br>
18/03/03 08:13

E aí Daniel,

olha, como baterista, confirmo que esse som da esteira vibrando é "normal". porém é um som que pertuba os outros músicos pois tudo que emite um som produz uma vibração na pele da caixa e consequentemente a esteira soa (tudo isso é normal). Como um simples técnico de PA, colocaria um gate insert do mic que capta a parte inferior da caixa mesmo! porém o ajuste deve ser bem estudado para não "abrir"o canal enquanto não tocar na caixa. Observe também se há (o correto é isso) uma inversão de fase no mixer para esse microfone da esteira.

Marcelo




De: "Edu Silva"
19/03/03

Olá

A esteira sempre vibra (afinal, está lá para isso), mas às vezes, além do esperado. Ocorre quando ela vibra em ressonância com outra peça da bateria ou instrumento (baixo, etc).

Existem algumas formas de se lidar com o caso.

  • Abafar: Às vezes funciona um pedaço de tecido entre a esteira e pele da caixa, mas apenas nas extremidades. Ou ao corntrário, prendê-las com fita adesiva - mas sem exagero, claro, elas precisam vibrar!

  • Re-afinar: A caixa (ou mais específicamente, a pele de resposta) pode ester "sintonizada" numa frequência  muito próxima de outra peça - tons ou algum harmônico do bumbo. Se a esteira vibra muito a cada batida do bumbo, por exemplo, ou a caixa está muito "baixa" ou o bumbo muito "alto". Verifique. Outra causa: a pele de resposta da caixa pode estar frouxa. Ou pode o bumbo estar muito amortecido (abafado), fazendo com que a vibração espúria da esteira seja mais audível.

  • Também vale um "truque" muito usado pelos bateristas: na pele de resposta da caixa, folgue um pouco os quatro parafusos de ajusta de tensão mais próximos da esteira e se preciso, aperte um pouco os demais para manter o timbre original. Vá reajustando e testando até a vibração indesejada sumir ou reduzir o bastante. Costuma funcionar bem.


Mas cuidado para não eliminar totalmente a esteira, afinal, ela está aí para vibrar, OK?

Edu Silva



Nova série de mensagens


De: "Rosana .." <radome32§hotmail.com>
07/06/03 02:46
Assunto: [Audio List] Vazamento do Hi Hat em Gravação

Olá!

Eu estou tentando gravar uma bateria acústica, mas o hi hat fica muito alto! Ele vaza por todos os microfones, principalmente o da caixa e quase nada no do bumbo. Já tentei mudar a posição dos mics, mas não adiantou nada. Estou usando um mic para cada peça e 2 overs. Tentei usar um gate na edição, mas ele corta uma parte da caixa junto com o hi hat e o bumbo quase some. A gravação está sendo feita em L/R.

Como microfonar para que não haja vazamento? Eu queria o chimbal e o condução bem baixos, talvez uns 6 dB mais baixo que o pico da caixa. Será que alguém pode me dar uma dica de como conseguir abaixar esses pratos?

Rosana Aippe




De: "Osni & Anee" <osni-anee§uol.com.br>
07/06/03 10:18

Olá, Rosana.

Se ajudar, vão aí alguns palpites, mesmo porquê gravar bateria em L/R é um pouquinho complicado. Mas pense da seguinte maneira: você precisa da batera como um todo em apenas dois canais, então procure usar dois microfones "over" espaçados captando o som geral da bateria em L/R.   Aí então use um mic para reforçar o bumbo e um para reforçar a caixa, de preferencia por baixo para captar mais o som da esteira, uma vez que o som da pele já vai pintar no over.

Pode também colocar mais um mic na pele, bem perto da pele, cerca de 3cm e de costas para o hihat, aí você vai trabalhando a equalização até chegar no ponto.


microfonação de bateria


É uma idéia, experimente, já vi trabalhos gravados assim com resultado excelente.




De: "Fernando Gundlach" <goodluckbrasil§hotmail.com>
07/06/03 15:01

Prezada Rosana,

Você não mencionou com que microfones você gravou a bateria e qual o tamanho da sua sala de gravação, mas pelo problema que voce apresentou devo deduzir que ela deve ser pequena e com um pé direito baixo. Também não sei qual é o revestimento acústico dessa sala, o que também faz a diferença, mas vamos lá.

Ao gravarmos uma bateria devemos entender que os vazamentos existem, já que todas as peças estão próximas e é quase impossível separá-las totalmente. E em uma sala pequena, um microfone em cada peça mais os overs (como em uma microfonação tradicional para shows) só vai adicionar mais vazamentos no som final.

Tente diminuir a quantidade usando um microfone para bumbo, um prá caixa e o outro pro chímbal. Para os tons e over, mais dois dispostos entre o tom 1 e 2 e o outro entre o tom 2 do surdo. No total 5 microfones e só!

Quanto ao tirar o chímbal da caixa, aí fica mais complicado. O ideal é posicionar um SM57, ou um senheiser 441 e ir procurando o ponto com menor nível de captação do som do chímbal.

Quando voce precisa isolar a caixa, para colocar um reverber por exemplo, você grava ela em um outro canal, ou seja, você vai ficar com dois canais de caixa idênticos. Nesse segundo canal você coloca um gate com um tempo de abertura bem curto e também o reverber que você quiser. No som final você terá a caixa com os vazamentos e a caixa com o gate+reverber, que somadas vão produzir o som final da caixa que voce desejava.

Quanto aos vazamentos no bumbo, eles são possiveis de tirar na mix com um gate com controle de frequência (BSS, Klark, Behringer, Drawmer, etc. Se possível use um D112 (AKG) ou um Beta 52 (SHURE) ou ainda o RE27 (Electro Voice) para captar o som do bumbo.

Fernando Gundlach



Nova série de mensagens


De: "Gustavo Pedrazza" <z2§wnt.com.br>
dom 19:13
Assunto: [Audio List] Duvida sobre Equalizacao - Microfonacao -

Há uma forma eficaz de evitar vazamento do hithat na caixa? Nao vale gate... (estudio)




De: "lucianoallgayer" <estudioa§zaz.com.br>
seg 01:38

Gustavo, tenho feito experiências em relação ao assunto de microfonar bateria de diferente maneiras:

Experimente colocar o microfone SM 57 abaixo do hat e direcionar para o centro da caixa, na altura do aro +/- 2 ou 3 cm de altura e 45º de inclinação, é uma boa maneira que consegui para isolar o som dos hats.

Quanto ao gate na batera, detesto. Transforma "UM" instrumento em com som de vários instrumentos separados.




De: Edu Silva <bahi0387§terra.com.br>

Gustavo Pedrazza escreveu:
1) uma forma eficaz de evitar vazamento do hithat na caixa?


Para começar, considere que o vazamento é natural. Costumo encarar como parte do som da bateria, e não me preocupo com isso.  Mas se prar você é um problema...

Tudo depende do correto posicionamento dos microfones:  na caixa, use um mic sem muita resposta nas altas (o SM57 que todo mundo usa serve), e ponha-o de costas para o chimbal (hihat), de forma a coincidir com o ponto nulo de seu padrão de captação (verifique o gráfico no folheto que acompanha o microfone).

Uma boa dica: corte um pedaço de espuma grossa em forma de círculo com um furo no meio. Por este furo, passe o mic da caixa, como nostra o desenho:


microfonação de bateria


Esse "filtro" ajuda a rejeitar o som do chimbal.

Mais dificil é evitar o vazamento da caixa no mic do chimbal, voce pode usar um pequeno mic de condensador para o chimbal, do lado "de fora" do kit, de maneira que o chimbal fique entre ele e a caixa, bloqueando razoavelmente bem o som desta. Ponha a cerca de 3 cm da borda dos pratos e 5 cm acima, apontado para o espaço entre ambos (veja figura).


microfonação de bateria


Com um mic decente (os Audio-Technica são OK) voce não irá ter problemas com o ar que escapa dos pratos quando fecham. A captação de detalhes (com vassourinhas, etc) é muito boa assim.

Se puder usar um limiter no chimbal, de forma que só seja acionado quando a caixa for atingida, pode ajudar.

Equalização no canal dele também é bem vinda: corte de médios-graves (algumas centenas de Hz) para baixo, voce não precisa deles aqui. Por exemplo (assumindo que voce usa uma mesa, e não a eq do software), use o low-cut (80 ou 100 Hz), corte os graves e use uma seção do parametrico de médios para atenuar em torno de 250 Hz, pois é aí que se concentra o 'peso" da caixa. Em 2 ou 2,5 kHz também ha muita energia, tente reduzir aqui.

Em PA entretanto, eu nem sempre microfono o chimbal. Simplesmente ponho o mic da caixa de forma a captar ambas as peças, aproveitando o vazamento. Se não pode vencê-los, junte-se a eles...  Smile

Edu Silva



Tons e surdo



De: "Dinho Braga" <dinhobraga§ig.com.br>
Data: Ter, 17 de Set de 2002 3:11 am

Estou tentando gravar uma batera acústica em meu home-studio e procurei algumas dicas sobre toms e surdo na faq e não encontrei. Será que alguém pode me dar essa dica?

Grande abraço a todos,

Dinho Braga
Manaus AM




De: Edu Silva <bahi0387§terra.com.br>
ter 22:12

Muito importante:

A bateria precisa ser de boa qualidade, com peles novas e bem afinada. Muito da qualidade do som vem de uma boa afinação.

O baterista tambem precisa ser bom, de tecnica apurada e com boas baquetas (adequadas ao tipo de musica a ser gravada, e novas). Sem tudo isso, não espere bom resultado de sua gravação.

http://audiolist.org/forum/kb.php?mode=article&k=211

Microfonação

Para início de conversa, este desenho mostra duas opções de captação:


microfonação de bateria


O mic, em qualquer situação, deve estar a uns 3 ou 5 cm de distância da pele, num ângulo aproximado de 45º. A diferença está na distância entre o mic e o centro da pele: na borda, o som é "magro"; no centro, tem mais "corpo" (ouve-se melhor a fundamental).

Mas vejam que só se deve usar um mic, claro! Tente as duas posições e deixe na que soar melhor.

A foto a seguir mostra um exemplo. Um microfone dinâmico posto logo acima da borda, e apontando para o centro.


microfonação de bateria


Um microfone dinâmico posto logo acima da borda, e apontando para o centro. Cuide para que ele fique "de costas" para o prato mais próximo, reduzindo vazamentos. O padrão cardióide costuma rejeitar melhor aqui.

Em caso de tons pequenos e próximos um do outro, ou gêneros musicais mais "acústicos" (jazz, bossa nova...), você pode usar apenas um microfone para captar ambos:


microfonação de bateria


Agora, o padrão de captação hipercardióide rejeitará melhor os pratos, como faria como se estivesse servindo ao cantor, em frente a dois retornos.

Em sets onde os tons não tem a pele inferior, sempre surge a tentação de pôr o microfone lá dentro:


microfonação de bateria


Isso reduz o vazamento (bom em PA), mas o som fica meio ressonante e sem ataque. Experimente e veja se vale a pena.

--
Edu Silva



Nova série de mensagens


De: "Geovane" <geobatera§ig.com.br>
seg 16:21
Assunto: [Audio List] Duvida de equalizacao dos toms

Oi

Eu queria de saber sobre equalização dos toms, esses dias me trouxeram uma musica para mixar no estúdio aconteceu que eles gravaram com uma bateria pearl com as peles muito usadas. Ai briguei para tirar o som e não consegui tirar o som que eu queria porque também toco batera. Os toms até que deu para enganar mas o surdo meu amigo não deu não.

Ai queria saber umas dicas de equalização de toms e surdo, quem entende do assunto possa me ajudar a resolver desde já agradeço.




De: "Luiz Henrique de Faria Moreira" <lhfm§hotmail.com>
ter 00:50

Oi, Geovane nos tons e surdo tente atenuar freqüências por volta de 300Hz (região de médio grave que faz os tons ressonarem bastante). Dependendo do estilo reforce um pouco com um filtro shelving por volta de 8Khz para dar um brilho e melhorar o attack da peça. Se de todo o som estiver um pouco "lata" tente atenuar por volta de 2Khz. Obs: procure usar uma largura de banda (bandWidth) por volta de 2 oitavas que soa mais musical. Espero que estas dicas lhe ajudem.




De: Celio Barros <zanonbar§sanet.com.br>
ter 01:22

em casos de batera com peles soando mal (conheci isso de perto a ponto de amigos meus dizerem que eu nao sabia gravar batera...), e' fundamental, voce perceber ate' que ponto a pele esta' velha, ate' que ponto a batera esta' desafinada e, ate' que ponto o baterista sabe tirar um som redondo da batera, fazendo-a soar de forma equilibrada e presente.

listando:

    1- se as peles forem apenas velhas, acho que você vai perder muito do sustain dos tambores. imagino que um bom compressor junto a uma pesquisa com medios pode ajudar bem.

    2- se a batera estiver muito desafinada, os tambores vao ressoar inumeras frquencias que acabam por embolar o som, quando nao o cancelam, dificultando muito qualquer esforco pra deixar o som limpo e nitido. nesses casos (o que ocorreu comigo no som daqule batera que gravou aqui) e' mais dificil. o que da' pra fazer e' deixar aquele som feio bem na frente, mas o som vai continuar feio, porque ja' estava assim quando foi gravado.

    3- se for a sonoridade do baterista, você vai perceber que o ataque nas peles e' muito forte mas o som nao "sai", parece amarrado. nesses casos, uso L1. as vezes temos que exagerar no treshold (-10bB ou mais) sem medo.

Infelizmente, essas sao medidas incomodas de se tomar pois estamos remediando um problema que muitas vezes poderia ser evitado com um pouco de atencao e dialogo tanto do baterista quanto do tecnico. Enfim, essas coisas acontecem...

celio - SP




De: Edu Silva <bahi0387§terra.com.br>
ter 01:32

Sem boas peles, e corretamente afinadas, não há santo que dê jeito! Ponha a culpa no baterista, você não pode fazer milagre...

Veja aqui algumas dicas de equalização de toms e surdo (bem afinados, com peles boas e mic OK). Servem para PA e mixagem de trilhas em estudio.


Surdo

+3 / 80 ...160Hz corpo (Q=1 a 1.4)

-6 / 300...400Hz reduz "som de caixa de papelao" (Q=1.4)

-4 / 1,5k        reduz "som de barril" (Q=1.4)

+4 / 4...5k      ataque, presença (Q=1.4 a 2.8)

+4 / 7k          som metálico (Q=1.4 a 2.8)



Toms

+3 / 120...200Hz corpo (Q=1 a 1.4)

+3 / 200...300Hz corpo (Q=1 a 1.4)

-6 / 400...500Hz reduz "som de caixa de papelao" (Q=1.4)

-4 / 1,5k        reduz "som de barril" (Q=1.4)

+4 / 4...5k      ataque, presença (Q=1.4 a 2.8)

+4 / 7k          som metálico (Q=1.4 a 2.8)


As frequencias não são exatas, varie entre os dois extremos.

Entenda o seguinte: não precisa fazer tal e qual está ai, são sugestões para experimentar quando voce nota que algo parece estar "faltando" ou "sobrando" no bumbo. Isso, admitindo que seu sistema (PA ou estudio) tem resposta equilibrada e a microfonação está correta.

_________________
Edu Silva




Saiba mais


Biblioteca  »  FAQ  »  Captação, processamento e mixagem - em estúdio e PA  »  Instrumentos Musicais e Vozes  »  Acústicos
Compartilhe

 Navegação 

Powered by Knowledge Base MOD, wGEric & Haplo © 2002-2005
php.com MOD


                     jáCotei, o seu comparador de preços!        anuncie no maior portal de áudio pro do Brasil       

Hospedagem Opticalhost | Powered by phpBB © 2001, 2008 phpBB Group | Política de Privacidade