• This site uses cookies. By continuing to use this site, you are agreeing to our use of cookies. Learn More.

[Ajuda] - Como alimentar equipamento de som para barzinho

#1
Pessoal...

Tenho uma banda e equipamentos para tocar em barzinhos. Gostaria de ajuda para saber o que comprar para não ter problemas em relação a energia do local.

Preciso ligar na tomada:
2 caixas ativas - Modelo: TS700A da Antera;
1 mesa de som - Modelo: SX802FX da SoundCraft - Fonte SAIDA AC 17,5V+17,5V;
1 bateria eletronica - Modelo: Alesis Dm7 - AC 12 ou 9V (não me lembro exatamente);
1 fonte para pedais 9V

Não sei se é melhor comprar filtro de linha, estabilizador, no break e etc... podem me ajudar ?
 

DJ GARAM

Well-Known Member
#3
Amigão essa mesa é sofrível a variação de energia e a poeira.
Digo que um Pm 1.2 pentacústica e um case pra mesa o quanto antes, seriam proteções obrigatórias.
 

DJ GARAM

Well-Known Member
#5
Vamos tomar como referência a tensão 127V ou mais conhecida como 110V.
Vamos calcular pela caixa que mais consome. A HD32a. Que consome 700w.
Não sei a tolerância de variação de energia da mesma, mas vamos considerar um mínimo de 100V.
Logo 700/100 = 7a vai precisar de uma saída que lhe forneça no mínimo 7a.
Nesse caso Tem o Pm 1.2 Pentacústica que possui, 6 saídas de até 10a e 1 de 20a.
Então este vai te atender perfeitamente.
 
#6
Vamos tomar como referência a tensão 127V ou mais conhecida como 110V.
Vamos calcular pela caixa que mais consome. A HD32a. Que consome 700w.
Não sei a tolerância de variação de energia da mesma, mas vamos considerar um mínimo de 100V.
Logo 700/100 = 7a vai precisar de uma saída que lhe forneça no mínimo 7a.
Nesse caso Tem o Pm 1.2 Pentacústica que possui, 6 saídas de até 10a e 1 de 20a.
Então este vai te atender perfeitamente.
Certo... mas adianta alguma coisa se usar numa tomada comum que encontramos nos diversos locais de eventos?
 

AltVan13

Well-Known Member
#7
Vamos tomar como referência a tensão 127V ou mais conhecida como 110V.
Vamos calcular pela caixa que mais consome. A HD32a. Que consome 700w.
Não sei a tolerância de variação de energia da mesma, mas vamos considerar um mínimo de 100V.
Logo 700/100 = 7a vai precisar de uma saída que lhe forneça no mínimo 7a.
Nesse caso Tem o Pm 1.2 Pentacústica que possui, 6 saídas de até 10a e 1 de 20a.
Então este vai te atender perfeitamente.
@DJ GARAM !

Se conferir na informação da parte traseira da HD32 vai conferir que lá especifica para 127V uma corrente de 3,15A e isso se não me engano seria o consumo máximo, no volume máximo da caixa.
 

DJ GARAM

Well-Known Member
#8
Não sei qual a forma que eles fazem a medição lá fora, e nem a variação de energia suportada pela caixa, mas como a caixa é projetada para trabalhar um belo fornecimento de energia elétrica entregue pela (s) locadoras gringas, sem interferências ou oscilações possa ser que consuma menos lá fora, mas aqui no brasil, uma caixa de 700w em 127V deve ser considerada uma amperagem de 5,5a.
Isso pra não entrar no assunto se a caixa entrega ou não 700w. dá forma que pensamos.
Pois uma coisa que não podemos esquecer, é que existem várias normas de medições, trazendo a possibilidade de uma caixa de 400rms ter o mesmo spl de uma caixa de 700rms. É triste, mas Capitou?
 

DJ GARAM

Well-Known Member
#9
Certo... mas adianta alguma coisa se usar numa tomada comum que encontramos nos diversos locais de eventos?
Para uma caixa deste porte $ e um péssimo fornecimento elétrico entregue pelas concessionárias, eu não arriscaria. Pois nossa energia é muito suja e variante. Os picos são muito constantes, só não notamos porque são em muito poucos milissegundos, mas um equipo, dependendo da intensidade, nota e muito.
Porém mesmo que ela tivesse a necessidade de até 10A. Nossas tradicionais tomadas (caseiras) atendem numa boa.
 

AltVan13

Well-Known Member
#11
Bem senhores estamos falando de coisas diferentes!

@Sandro_Alves ;

Se o fusível em 115V é de 6.3A mais um motivo para entender que a corrente de trabalho deve ser mesmo entre 3,15A pois um fusível não é especificado para trabalhar assim tão próximo da corrente nominal e dependendo do circuito a ser protegido pode ser mais de 2x maior que esta. Vc que está familiarizado com som passivo e amplificadores veja de quantos ampéres são os fusíveis ou disjuntores que os alimentam e compare com a corrente de consumo declarada.

@DJ GARAM;

Embora não seja expert no assunto é fácil perceber que ainda que suas observações devam mesmo ser levadas em consideração não seria inteligente de qualquer empresa, nacional ou estrangeira, especificar na placa de seus produtos ( que é visível ) uma corrente de consumo 2x menor que a suposta real ( que no caso em que estamos discutindo seria em torno de 6,3A ) e que só é visível no manual ou no fusível. Ia queimar o produto a torto e a direito e ela teria que repor em garantia devido a este conflito de informações.

A foto abaixo consta do manual:
HD32.jpg

Já foi discutido em outros locais que esta diferença entre o cálculo convencional da corrente em função da potência declarada e o corrente de consumo declarada deve-se a características do tipo de amplificador utilizado nas caixas. Sabemos tb que potência e spl são coisas completamente diferentes e que amplificadores de mesma potencia com transdutores de sensibilidade diferente vão produzir um spl diferente, sendo que o que trabalhar com o mais sensível produzirá um spl maior. Logo não seria somente possível, mas extremamente comum que um sistema com potência declarada menor desenvolva um mais spl que outros sistemas com potência declarada maior.
 
#12
@AltVan13
O que eu conheço é o seguinte:
O valor do fusivel de entrada é compativel com a corrente total de consumo max do equipamento.
O consumo total é sempre maior que a potencia entregada.
Entra mais e sai menos. ex: entra 4600w para sair 3000w
Audio Leader Al 3000w 4ohms (AB de alto consumo)
http://audioleader.com.br/listaprod3.asp?lista=categoria&tipo_id=4&prod_id=51
potencia entregue 3000w
consumo 4600w
127v x 35A =4445
230v x 20A = 4600
Aumentou a voltagem, a intensidade de corrente é menor para se obter a potencia.
Portanto o valor do fusivel no uso 220v sempre será menor que no 110v.

Agora em amp digital fonte chaveada o consumo é menor.
(em alguns casos já vi especificar consumo max menor que potencia de saida. Acho estranho, mas nunca estudei o assunto a fundo)
RCF32A
potencia = amperagem x voltagem
portanto: 115v x 6,3a = 724
230v x 3,15 = 724
A cx declara ter 700w, então pelo pouco que conheço esta tudo certo. tanto em 110v ou 220v

Agora sua foto esta confusa segundo meus conceitos.
Acho que a HD32a usa Powercon, será que essa foto é dela? Modelo antigo?
Aumentou a voltagem, diminui a corrente e consequentemente o valor do fusivel.
Parece que a serigrafia da cx esta invertida.
 

Attachments

AltVan13

Well-Known Member
#13
@sandro alves !

As informações estão todas certas no manual ( quando especifica os fusíveis ) e na placa ( quando especifica a corrente de consumo ). Obseve que para 115V o fusível de 6,3A é exatamente o dobro da corrente de consumo de 3,15A e em 230V repete-se a mesma relação.
Segundo o seu raciocínio o que aconteceria então se vc usasse a caixa em potência máxima?
A corrente tb atingiria seu valor máximo ( 6,3A ) e o fusível queimaria. Não é isso que acontece não é mesmo.
Segundo o meu raciocínio a caixa atingiria potência máxima tranquilo que ainda teria margem para variações de tensão.
Se não me engano o cálculo que vc está usando para a Potência é exatamente assim para um circuito puramente resistivo, quando entram indutores e capacitores na jogada a coisa muda de figura e são necessários outros cálculos.
 
#14
@AltVan13
Entendi o que vc quer dizer:
no 110 o fusivel é de 6.3A e o consumo é 3,15A.
no 22o o fusivel é de 3,15 e o consumo é de 1,6A
Sempre mantendo uma margem acima.
Agora me explica como que a caixa entrega 700w reais com esse consumo irrisório???
Poderia me explicar os calculos corretos para essa situação?
Nas contas que conheço não chega nem perto dos 700.
115v x 3,15A = 362w
230v x 1,6A = 368w
 

DJ GARAM

Well-Known Member
#15
Bem senhores estamos falando de coisas diferentes!

@Sandro_Alves ;

Se o fusível em 115V é de 6.3A mais um motivo para entender que a corrente de trabalho deve ser mesmo entre 3,15A pois um fusível não é especificado para trabalhar assim tão próximo da corrente nominal e dependendo do circuito a ser protegido pode ser mais de 2x maior que esta. Vc que está familiarizado com som passivo e amplificadores veja de quantos ampéres são os fusíveis ou disjuntores que os alimentam e compare com a corrente de consumo declarada.

@DJ GARAM;

Embora não seja expert no assunto é fácil perceber que ainda que suas observações devam mesmo ser levadas em consideração não seria inteligente de qualquer empresa, nacional ou estrangeira, especificar na placa de seus produtos ( que é visível ) uma corrente de consumo 2x menor que a suposta real ( que no caso em que estamos discutindo seria em torno de 6,3A ) e que só é visível no manual ou no fusível. Ia queimar o produto a torto e a direito e ela teria que repor em garantia devido a este conflito de informações.

A foto abaixo consta do manual:
Ver anexo 1484

Já foi discutido em outros locais que esta diferença entre o cálculo convencional da corrente em função da potência declarada e o corrente de consumo declarada deve-se a características do tipo de amplificador utilizado nas caixas. Sabemos tb que potência e spl são coisas completamente diferentes e que amplificadores de mesma potencia com transdutores de sensibilidade diferente vão produzir um spl diferente, sendo que o que trabalhar com o mais sensível produzirá um spl maior. Logo não seria somente possível, mas extremamente comum que um sistema com potência declarada menor desenvolva um mais spl que outros sistemas com potência declarada maior.
Na segunda estrofe, você só repetiu o sentido da coisa, até ai tudo bem.
Mas na primeira estrofe, infelizmente não consegui entender, o que quis dizer.
 
#18
Certo caros colegas.... Boas explicações técnicas....

Mas a grande questão é se de fato adianta eu ter um pentacústica no meu sistema, visto que no próprio manual do produto consta que:


É imprescindível que a instalação elétrica esteja de acordo com a NBR-5410:2004 – Instalações


Elétricas de Baixa Tensão. Fora do Brasil, as normas vigentes de cada país também devem ser atendidas

plenamente.

A utilização do condutor de proteção (aterramento) é obrigatória. Não teime ou encontre desculpas,

faça!
 

AltVan13

Well-Known Member
#19
Cara não entendi a sua dúvida. Todos reconendam e usam o equipamento como proteção esteja a instalação de acordo com o padrão ou não. Você pode tirar dúvidas tb ligando pra Pentacustica, eles te orientarão quanto ou melhor modelo pra te atender se vc ainda não decidiu

Enviado de meu GT-I9300 usando Tapatalk
 
Última edição:
#20
@Eliezer Oliveira
Adquirir um Pentacústica (ou outro equipamento semelhante) é a melhor coisa que você pode fazer para seu sistema. Não há no-break ou estabilizador nacional que implemente a quantidade de proteções a surtos que o equipamento fornece. Não é à toa que eles são líderes do mercado nacional. O que eles vendem nem se compara com No-Breaks ou Estabilizadores desses vendidos em comércio de eletrônica ou informática. No seu caso, um da família 1.x já vai resolver pois, como disse o @DJ GARAM , as tomadas possuem saída de 10A suportando picos de 25A de até 1 segundo.

Quanto à questão de potência elétrica x potência de amplificação, também ficava muito paranóico com isso. Investi num gerenciador PM 2.2 e foi a melhor coisa que fiz. Falei e comprei diretamente com a empresa e fui muito bem atendido pelo Fabiano, que me tirou todas as dúvidas.

Informação importante - Já usei 5 Stagemaxx, 4 subline 18a, 4 Promaxx 14a e mais mesa e backline de palco (amps de guitarra e baixo), tudo junto, em 110v e não chegou a 25A na entrada do gerenciador. A saída que alimentava as 4 Promaxx, ficou oscilando entre 11A e 14A e a saída que alimentava os Sublines não chegou a 17A, sendo que a dos subs era a que tinha o maior intervalo entre os valores mínimos (até 8A foi exibido) e esse máximo de 17A (que ocorreu somente uma vez em cerca de 3 minutos). Isso tudo medido com um multímetros daqueles com uma espécie de grampo para medir a amperagem no cabo, durante a passagem de som, e com tudo no máximo, dentro de um teatro. Então, na teoria, somando só essas duas saídas já passa o valor da entrada, certo?

O lance é que, além da potência de amplificação não ser linear durante a reprodução de quase nenhum estilo musical, esse picos ainda são alimentados por carga armazenada nos circuitos de capacitores dos amplificadores. Pelo menos é o entendimento que tenho do assunto. Agora, se colocarmos em teste com um ruído rosa ou um sinal constante, daí já é uma outra história. E olha que essa outra história já deu o que falar anteriormente por aqui naqueles testes de potência...

Espero que eu tenha contribuído em algo para a discussão.

Abraços.