• This site uses cookies. By continuing to use this site, you are agreeing to our use of cookies. Learn More.

Bateria ???

#1
Aí galera , será que existe um Baterista entre nós,ou alguem que possa dar umas dicas...

...dicas de como abafar o som sem cortar os timbres.

Lá na igreja o pessoal coloca um saco de algodão dentro do bumbo,ja vi bateristas colocar espuma tipo de colchão em volta do bumbo,por dentro é claro.

Oque seria o ideal ?
 

pTjz

Moderator
Moderador
#2
Fala Lin,

Bem isso é uma coisa um pouco pessoal... Cada um curto um som, cada um leva um estilo, cada um usa um peso de baqueta e baquetas com pontas diferentes, então 1º deve ser definido o som que se procura.
Depois se leva em consideração o seguinte, a batera é projetada direto ao público ou é microfonada? Depois de definido isso temos que definir o quantidade de som que podemos ou queremos gerar, ai sim vamos abafar :D

>> Abafador para bumbo.
Uso um travesseiro, gosto muito tenho ótimos resultados com ele, coloco encostando na pele batedeira ocupando +/- 1/3 da pele sem encostar na resposta, é uma receitinha de bolo :D

>> Abafador para os tons
Há que goste de cortar peles antigas em rodelas e deitar por cima da pele no tambor, eu não curto.
Geralmente uso feltro de cadeira aqueles auto-adesivos que você tira o ‘plastiquinho’ e cola em baixo do pé da caideira, muito bom e vende em qualquer material de construção...
Mais recentemente comprei os abafadores “MOONGEL” que são reutilizáveis, muito legais e não abafam tanto.
E tem também os ‘Min-EMAD’ da Evans, muito comum entre os bateras renomados e muito bom também, você define a quantidade de contato com a superfície da pele, definindo também a quantidade de abafamento.
Isto serve para todos os tambores.

E por fim o ouvido e bom senso de quem toca, o maior e melhor de todos os abafadores!
 
#3
Cara , na minha igreja construimos um aquário, aproveitando o canto da parede colocamos vidro temperado o que ficou legal,sábado passado forramos as paredes com madeira e o teto também,vedou um pouco o som,mas,pretendo colocar fibra de vidro em cima da madeira ou espuma e forrar com um tecido pra também ajudar na estética da igreja,futuramente vamos microfonar.

Tudo isso abafou o som um pouco e não perdeu os timbres,pois, a igreja não tem acústica nenhuma,será que vai precisar microfonar ?
 

bersan

Administrator
Moderador
#4
Lim,

teoricamente, sim, já que pelo que você descreveu fechou até em cima. Mas faça o seguinte, deixe um mês sem mexer em mais nada, até vocês se acostumarem. Depois, se realmente a bateria estiver fazendo falta, microfone.

Interessante os aquários...

- você gasta uma nota construindo (de R$ 3.000,00 a R$ 5.000,00)
- você tem que comprar um kit de microfones, cabos, medusa (R$ 2.000,00)
- precisa trocar a mesa por uma com mais canais (ou comprar mais uma mesa só para colocar os canais da bateria - R$ 1.000,00 a R$ 2.000,00)

Não sai mais barato uma eletrônica?

E para os bateristas que reclamam que eletrônicas não tem "pegada", vejam esta:

<!-- m --><a class="postlink" href="http://www.staffdrum.com.br">http://www.staffdrum.com.br</a><!-- m -->

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=4RDtzbQPmnc[/youtube]

Um abraço,

Fernando

PS: meu primeiro post com vídeo Youtube incorporado! Valeu Carlosecg!!!
 

bersan

Administrator
Moderador
#6
Fala Rafael,

essa bateria é bem interessante, coloquei para levantar a dúvida mesmo. Ela é uma semi-eletrônica ou uma semi-acústica, o que você entender melhor. Ela tem as peles normais, mas o corpo das peças é muito reduzido. Ela pode funcionar microfonada ou "trigada" (com triggers, uma espécie de captadores de superfície, que ficam nas peles), ou mesmo um misto dos dois. Usando triggers, pode-se colocar um módulo de sons qualquer.

Pelo que entendi da explicação, ela possibilita ao músico ter a "pegada" de sempre (já que ele terá os pratos, as peles), mas em um instrumento que gera muito menos SPL que uma acústica de verdade.

Mas a conferir. Lembrando que não sou baterista...

Um abraço,

Fernando
 

pTjz

Moderator
Moderador
#7
Fala galera,

Eu já tinha visto esta batera a muito tempo atrás, porem de outra marca, mais só em fotos.
Assim, ouvido na vassourinha até que agrada, mais quero ver é na baquetada mesmo, porem minha primeira impressão foi ótima, para uma igreja pequena é um belo recurso, até porque se ela tirar um som legal na acústica, você terá uma mão na roda, pois os cascos dela já tem com o piezzo (trigger) acoplado, então você compra uma batera acústica e de brinde vem uma eletrônica, adorei a idéia :D

Vamos esperar os próximos vídeos dela, quero uma com baquetas a vera :)

Abraços fórum!
e parabéns pelas atualizações, ficaram ótimas :p
 
G

Guest

Guest
#8
bersan disse:
Lim,
Não sai mais barato uma eletrônica?

E para os bateristas que reclamam que eletrônicas não tem "pegada"
Bersan, fazendo uma analogia, seria a mesma pegada que vc tocar uma Behringer!

A bateria acústica é diferente, vc sente o som orgânico e pulsante, com sensibilidade total ao que vc aplica.

Mas também concordo com você que as eletrônicas facilitam em muito a vida dos operadores de som, e em casos de acústica ruim, acabam saindo mais baratas. Mas acho que se este for o meu caso, eu pagaria do bolso o aquário, microfones, cabos e mesa nova.

Abraços!
 
#10
Frequento a Expomusic desde a primeira edição.
nesta última foi DE NOCAUTEAR qualquer um que tenha dúvidas sobre baterias eletronicas
disse há pouco em outro tópico e repito: - A partir de r$ 2.699,00 é possível comprar uma excelente da Roland ou Staff Drum.....

se pensarmos em uma que dá uma sensação de estar tocando uma normal, basta testar a TD4 da Roland, que se nao me engano são R$ 3.999,00

nao vejo porque insistirmos com bateria acústica nas igrejas

nós, que atuamos com som, deveriamos EXIGIR esta mudança de paradigma.
 

Deiny

Active Member
#11
Na minha opinião... MUSICALMENTE a bateria eletrônica não substitui uma acústica. A discussão é a mesma sobre substituir cubos de guitarra por simuladores... e eu nem entrei no mérito dos valvulados. É questão de gosto, timbre, sensação.

Logicamente, se houver necessidade de trocar mesa, multicabo SÓ POR CAUSA da mesa, sai mais barato uma eletrônica. Mas nunca vi nem acho que vou ver um baterista preferindo uma bateria eletronica à uma acustica.
 

carlosecg

Administrator
Moderador
#12
Deiny disse:
Mas nunca vi nem acho que vou ver um baterista preferindo uma bateria eletronica à uma acustica.
Existem sim. Veja por exemplo o site dedicado ao assunto: <!-- m --><a class="postlink" href="http://www.ebatuque.com/index.php" onclick="window.open(this.href);return false;">http://www.ebatuque.com/index.php</a><!-- m -->

O que há também é muito preconceito. Já perguntei para alguns bateristas que diziam que não gostavam, se eles já tocaram em alguma. A maioria dizia que não, e não gostavam porque viram alguma e não gostaram da sonoridade. Hoje com Ezdrummer, BFD, Superior Drummer e similares, essa desculpa é ultrapassada.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=skevelcHaM0[/youtube]
 

Deiny

Active Member
#13
carlosecg disse:
Hoje com Ezdrummer, BFD, Superior Drummer e similares, essa desculpa é ultrapassada.
Conheço bem esses vsts e sua qualidade indiscutível, afinal é o "mesmo" que tocar em uma super bateria gravada em um super estúdio... minha citação foi em relação a organicidade (existe essa palavra? relativo a orgânico) de uma bateria acústica comparada a uma eletrônica. Por isso fiz o paralelo com amps valvulados e os "v-amps" da vida.
 

carlosecg

Administrator
Moderador
#14
Entendi sua colocação, Deiny. Também toco bateria, mas de eletrônica só tenho contato com Staffdrum e semana passada experimentei uma Roland TD-4. Não gostei da caixa da TD-4, parece que estou batendo em uma rede de pesca.

A pegada não é a mesma, fato. Minha maior reclamação é em relação ao bumbo e pedal do chimbau: os que experimentei não tem a mesma sensibilidade, e sentir o pedal do bumbo batendo em um pad é muito diferente. Mas a desculpa do som já não procede mais.