• This site uses cookies. By continuing to use this site, you are agreeing to our use of cookies. Learn More.

Níveis de Sinal de Áudio

bersan

Administrator
Moderador
#1
Tópico para a discussão do seguinte artigo publicado no Som ao Vivo:

Níveis de Sinal de Áudio
http://www.somaovivo.mus.br/artigos.php?id=114

Aqui está um pequeno trecho do artigo:
"<p class="MsoNormal" style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt; TEXT-INDENT: 0cm"><span lang="PT-BR" style="FONT-FAMILY: Arial"><font size="3">É muito comum ouvir em nossas igrejas o som alto e com distorções. Muitas das vezes o operador até percebe a distorção, mas não sabe o que a esta gerando. Este é um problema clássico de equipamentos ..."

Comentários são bem-vindos.

Atenciosamente,
Equipe Som ao Vivo
http://www.somaovivo.mus.br
 
#2
volume

isso é um problema q acontece em muita igreja ,por nao ter uma formaçao nem a facilidade de muitos . outra coisa q as pessoas fazem é quando o som esta auto e nao consegue ouvir um determinado instrumento por causa do mascaramento,entao aumentao o volume ao inves de baixas os outros!
 

gope

Active Member
#3
Gostei do artigo!
Simples, prático e com boa alusão histórica.
Faz lembrar de alguns detalhes que as vezes passam despercebidos e que é bom sempre estar estudando.

Abçs!
 
#4
Ola gente. Uma dica que eu acredito ser bem útil (obviedade mais vai que ajuda né?!). Antes de mexer nos volumes dos canais eu isolo cada canal no fone de ouvido e vou igualando-os no nível de entrada (num nível bom de entrada sem que de over é claro) usando a voz principal como referencia e só depois de todas as vozes e instrumentos estarem com os níveis de entrada aparentemente iguais (lógico que sempre vai existir uma diferença) ai sim eu tenho uma real no volume de saída. Isso faz com que os volumes de saída (tanto master quanto aux) sejam reais e os faders não nos enganem. Abraços pessoal.
 
#5
Níveis de Sinais em Áudio.

Em função do nível de um sinal de áudio ele é classificado de acordo com três divisões básicas:

1 – Níveis de Baixo Sinal.
2 – Níveis de Linha.
3 – Nível de Caixa Acústica.

upload_2017-10-8_10-33-12.png

Níveis de Baixo Sinal.
São os níveis gerados por microfones, captadores magnéticos de instrumentos musicais, cabeças de reprodução de gravadores, cápsulas fonocaptoras de toca discos, etc. O nível do sinal nesses casos é tão baixo que uma conexão mal feita ou uma solda mal feita pode impor uma resistência tão grande que o sinal é consumido na própria conexão.
Para microfones o nível na saída pode atingir valores entre 1mV a 30mV, ou seja, 1 milivolts a 30 milivolts. Imagine o que isso representa! Se a mesa tiver uma entrada com impedância de 600 Ohms (o que é padrão) com um sinal de 30mV teremos uma potência de 1,5 microwatt! Valor de fato muito, muito baixo. Por isso é muito importante manter as conexões bem firmes e limpas pois qualquer impureza representa uma resistência e pode afetar o sinal.
Devido a isso é muito importante que se use somente cabos e conectores de alta qualidade evitando aqueles produtos ditos “baratos”; o mesmo vale para os conectores.

É por isso que os sinais gerados pelos microfones precisam sofrer uma pré-amplificação antes de serem processados. Essa amplificação é feita nas mesas de som ou mixer, por isso elas são chamadas também de pré-amplificadores.
Na saída de um mixer o nível de sinal já está bem acima dos níveis de entrada e daí para frente passam a ser chamados de Níveis de Linha ou Sinal de Linha.

Níveis de Linha.

Após a pré-amplificação pela mesa de som o sinal assume valores bem acima dos considerados anteriormente. Na saída de um mixer o sinal pode atingir níveis que vão desde 0,775 Volt (775milivolt ou 0 dBu) até 15,5 Volts (+26 dBu) ou mais, considerando-se valores máximos de saída. O nível do sinal na saída de um mixer depende naturalmente da posição do controle de volume geral (máster). Tais níveis são necessários para serem aplicados na entrada de um amplificador de potência.

É claro que o nível de linha também é necessário para enviar o sinal para outros aparelhos tais como: equalizadores, crossover, processadores de sinais, processadores de efeitos, etc. Todos esses aparelhos trabalham como níveis de linha tanto na entrada como na saída, ou seja, eles requerem esses níveis para processarem o sinal.

Podemos ter entradas de níveis de linha no mixer também. É o caso por exemplo do sinal que procede de um cd player ou dvd player. Neste caso o sinal de saída desses aparelhos já vem pré-amplificado e portanto assume nível de linha. Por isso os mixers possuem entradas tanto de baixo sinal como de linha.

Muito cuidado neste caso pra não trocar as bolas. Um sinal com nível de linha jamais pode ser aplicado na entrada de baixo nível de um mixer. Essa entrada foi feita para aceitar sinais muito fracos e prover amplificação adequada para elevá-lo ao nível de linha. Se aplicarmos um sinal cujo nível já é de linha haverá distorção do sinal, podendo até danificar a mesa. O contrário não causa danos mas também perdemos muito no ganho. É obvio que se aplicarmos um sinal de baixo nível numa entrada de alto nível, ou seja, numa entrada que requer alto nível, não teremos amplificação suficiente do sinal.

Os mixers basicamente tem dois tipos de entradas de sinal:


1 – Entradas de baixo nível ou de alto ganho. Como vimos é para uso de microfones. Chama-se de alto ganho por que elas fornecem alto ganho ao sinal, dado a pequena amplitude do sinal. Devido ao fato de serem usada mais para microfones elas são também chamadas de entradas de microfone ou simplesmente “Mic”.

2 – Entradas de alto nível ou de baixo ganho. São entradas para fontes cujo sinal já vem pré-amplificado, tais como : cd, dvd, direct box, instrumentos, etc. Também são chamadas de entradas de baixo ganho por que não precisam amplificar o sinal já que estes já são pré-amplificados. Por receberem somente sinais de linha são também chamadas de entrdas de linha ou simplesmnete “Line”.


upload_2017-10-8_10-38-21.png

Nível de Caixa ou Alto-falante.

Após passar pela pré-amplificação o sinal de áudio será entregue aos amplificadores, podendo ou não, antes disso, passar por outros aparelhos como equalizadores ou processadores. De qualquer forma após o sinal sofrer a pré-amplificação ele será enviado para a entrada do amplificador que se encarrega de elevar o sinal a níveis compatíveis com o alto-falante. O sinal na entrada do amplificador será aumentado um determinado números de vezes de acordo com o fator de ganho do mesmo. Por exemplo, se o fator de ganho de um amplificador for de 40X isso quer dizer que o sinal presente em sua entrada terá seu ganho de tensão aumentado em 40 vezes. O nível de sinal na entrada dos amplificadores determina sua sensibilidade. Como já vimos é o valor que o amplificador precisa para desenvolver a potência nominal.


Exemplo: Características de um amplificador:

Sensibilidade: 0,775 Volts
Fator de ganho: 40
Potência nominal: 240 Watts/4 Ohms

Então isto quer dizer que um sinal presente em sua entrada cujo nível seja de 0,775 Volts vai aparecer na saída 40x amplificado, ou seja, com 31 Volts.
Para transformar isso em dB basta aplicar a fórmula:

dB = 20log (31V/0,775V)
dB = 20log (40)
dB = 32dB

Se aplicarmos a fórmula de potência podemos comprovar o resultado:

P = E2/R temos: 312/4 = 240 Watts.

Portanto após a amplificação o sinal de áudio assume valores bem acima dos níveis de linha, sendo portanto próprio para ser aplicado a um alto-falante.

Pelo exemplo dado percebemos que o nível de tensão na saída de um amplificador será função direta do nível em sua entrada. Se no exemplo dado o nível na entrada for de 1V ele vai aparecer na saída com 1 x 40 = 40 Volts. Se por outro lado o nível na entrada for de 0,5 V ele vai aparecer na saída com 0,5 x 40 = 20Volts.

O aluno poderia agora raciocinar o seguinte: seguindo esse exemplo se o sinal na entrada desse amplificador for de 0,38V ou seja, 380 milivolts ele vai aparecer na saída com: 40 x 0,38 = 15,2Volts. Pois bem, se a saída de um mixer pode atingir 15,5 Volts conforme vimos (+26 dBu), por que não podemos ligar um alto-falante diretamente na saída da mesa? Os níveis nesse caso são bastante próximos, não são?

Bem, se fizer isso notará que a potência no alto-falante será muito mas muito baixa. A razão disso é a seguinte: o amplificador se encarrega não só de aumentar o nível do sinal de linha mas também de fornecer corrente suficiente para o alto-falante.


Lembre-se de que potência elétrica é P = V x I ou seja, tensão vezes corrente. Se tivermos tensão suficiente no alto-falante mas não tivermos corrente, a potência será mínima. Um mixer pode soltar um sinal que em seu valor máximo pode até atingir níveis bem próximos dos que temos na saída de um amplificador mas ele não consegue suprir corrente necessária para a bobina do alto-falante que assim não poderá transformar em grande potência o sinal presente em seus terminais. Já o amplificador fornece tanto a tensão elétrica amplificada do sinal bem como corrente suficiente para o alto-falante transformar em alta potência elétrica que por sua vez será transformado em potência sonora.

upload_2017-10-8_10-46-28.png