• This site uses cookies. By continuing to use this site, you are agreeing to our use of cookies. Learn More.

Novos termos - Letra D

TSA

Active Member
#1
Damping factor - Fator de amortecimento, em inglês.


DAW (Digital Audio Workstation) - Estação de trabalho de áudio digital. A bem da verdade, é todo um estúdio digital, baseado num computador. É possível gravar, editar, armazenar áudio, enfim, fazer todo o trabalho de um estúdio. Normalmente é composto por um computador, o hardware necessário (interfaces de áudio, majoritariamente) e o software, que vai fazer o processamento dos sinais.
É encontrado em praticamente qualquer estúdio. Torna o trabalho mais simples, porque centraliza as ações - já não é mais necessário gravar o áudio numa mídia (muitas vezes analógica), transferir o conteúdo para outra mídia para edição, e tornar a transferir para as etapas seguintes da produção; tudo é feito numa mesma máquina.


De-esser - Processador de dinâmica especializado em redução de sibilância. Muitos microfones têm um reforço na resposta a altas frequências; muitas vezes, também, na equalização de microfones, reforçam-se os agudos; apesar de tais fatores ajudarem a melhorar a inteligibilidade em muitos casos, pode ocorrer o efeito colateral de certos sons, como o da letra S, ficarem excessivamente pronunciados, causando de meros "incômodos auditivos" a problemas de distorção do sinal.
Tempos atrás, engenheiros de transmissão (broadcast) descobriram que poderiam tornar compressores mais sensíveis a essas frequências, criando, na prática, um efeito de redução do volume cada vez que elas se sobressaíssem (ou seja, na ocorrência de sibilância).
A bem da verdade, qualquer compressor pode ser transformado em de-esser se tiver a entrada sidechain -- basta conectar ali um equalizador com as frequências devidas reforçadas. Com um compressor multi-bandas, o trabalho fica ainda melhor, pois apenas as frequências indesejadas são atenuadas, ao invés de todo o sinal.
Há de-essers dedicados com otimizações e recursos que permitem um resultado muito melhor (e com menos trabalho) do que se conseguiria com um arranjo compressor + EQ.



•Dinâmica - Característica do som, é a diferença entre as partes mais fracas e mais fortes dele. Música clássica, por exemplo, costuma ter grande dinâmica, ou seja, essa diferença é considerável. Música pop, por outro lado, tem pouca dinâmica, especialmente nos tempos atuais, ou seja, há poucas variações de volume. Analogamente, é também uma característica dos sinais de áudio: diferença de nível entre as partes mais intensas e as mais fracas de um sinal. Atenção: alterar a dinâmica de um sinal não implica necessariamente uma mudança no nível do sinal.


•Direcional (ou direcionalidade) - Direcional é aquilo que não é onidirecional (um microfone, por exemplo). Então, direcionalidade é a propriedade de não ser onidirecional.
Quanto maior a direcionalidade, mais distante de ser onidirecional é o objeto em questão.
É um parâmetro válido para várias coisas, como microfones (os cardióides, supercardióides e afins, por exemplo), caixas de som (seu padrão de dispersão), etc.



Direct injection box (também conhecido como DI box, DI ou direct box; termo muito conhecido, mas é bom lembrar) - Aparato que serve para possibilitar a conexão de instrumentos musicais diretamente a mesas de som. Um direct box faz 3 coisas: ajusta o nível (atenua), ajusta a impedância e balanceia o sinal.
O sinal de um instrumento não é inteiramente adequado à conexão direta a mesas de som: o nível é alto (embora seja possível conectar à mesa pela entrada LINE); a impedância, na maioria dos casos, torna a conexão direta inviável; o sinal não é balanceado, de modo que em situações práticas, em que os cabos precisam ser longos, podem ocorrer problemas com interferências eletromagnéticas.
Um direct box resolve todas as questões: atenua o sinal, de modo a ficar adequado a uma entrada de microfone da mesa de som; ajusta a impedância, de modo que na "interação" com a impedância de entrada da mesa não haja prejuízos à resposta de frequência; e balanceia o sinal, de modo que se possam usar cabos longos do instrumento até a mesa de som sem riscos de interferências eletromagnéticas.
O nome direct injection box ("caixa de injeção direta") deriva-se do fato de que ele foi inventado para permitir que os instrumentos fossem ligados diretamente à mesa de som, sem passar por um amplificador ("cubo"), que seria microfonado - uma "injeção" direta do sinal do instrumento na mesa de som.
:arrow: Leia o seguinte artigo, daqui do SaV (escrito pelo mestre David Fernandes), para entender mais: O que você precisa saber sobre Direct Boxes.


Exemplo de direct box. Dos bons.



•Dispersão (ou padrão de dispersão) - Ângulo de cobertura efetiva de uma caixa de som. Varia conforme a frequência - quanto mais agudos, mais direcionais os sons, enquanto sons mais graves tendem a ser onidirecionais. É dividido em dois componentes: dispersão horizontal e dispersão vertical. Nas especificações de caixas de som, por exemplo, os valores são mostrados normalmente assim: 90°X 60° (respectivamente horizontal e vertical).


•Distorção de fase - Distorção causada pela diferença de tempo entre as várias partes do sinal (num sistema com múltiplos drivers, ou seja, as porções do sinal com frequências adequadas a cada um são emitidas em tempos diferentes, ou chegam ao ouvinte em tempos diferentes). O resultado é bem audível. O som fica "estranho", sem vida, sem clareza. Em casos mais graves, ocorrem cancelamentos sérios de certas frequências. É a falta de coerência de fases.


Driver - 1. (Informática) Também chamado de driver de dispositivo. Software que permite ao sistema operacional acessar um dispositivo. Atua como um intermediário entre o SO (e os programas) e o hardware (peça física). Uma interface de áudio, por exemplo, usa um driver para permitir ao sistema operacional e os programas acioná-la e usar seus recursos.
2. (Áudio) Transdutor (no sentido de alto-falante, ou seja, o que converte energia elétrica em som). No Brasil, o termo é comumente empregado para designar os transdutores de alta frequência, mas no original, em inglês, costuma ser usado para qualquer tipo, mesmo woofers.


Dummy load (carga fantasma, carga falsa) - Aparato para testes, simulando um dispositivo (de carga) real. Ao pé da letra, qualquer dispositivo que tenha características de impedância simulando aquelas do dispositivo substituído. Em áudio, por exemplo, são comuns cargas fantasma simulando alto-falantes, para testes de amplificadores de potência. Note que nesses casos específicos, buscam-se cargas que simulem todas as características dos falantes, como a resistência elétrica (DC), compliância, massa do cone, e afins, não apenas o valor de resistência elétrica.


Dynamics - Inglês para dinâmica. É preciso atentar para o seguinte: esse é o substantivo, não o adjetivo. Veja a diferença: dynamics processor é "processador de dinâmica"; dynamic (esse sim, o adjetivo) range, por outro lado, significa faixa dinâmica. O 1º significa não que o processador é algo dinâmico, mas que ele atua na dinâmica dos sinais (enfim, coisa que já sabemos); o 2º exemplo traz o adjetivo, dynamic.
Uma referência à dinâmica de uma música usaria o termo "dynamics" -- "essa música tem bastante dinâmica!"; um microfone dinâmico, por outro lado, seria chamado "dynamic".
É importante evitar essa confusão, para correta leitura de manuais e textos técnicos "importados".