LeSon HD-85S e a busca por um substituto ao Countryman

A história desse microfone, ou melhor, minha história em busca desse microfone é bastante interessante.

Na minha denominação, em especial nos nossos Anfiteatros, todos os pregadores querem usar um mic fininho como o Countryman. Usamos ou o próprio Countryman em sistemas Shure ou o Audio Technica AT-892. São ambos microfones excelentes, com diversos superlativos.

Finíssimos – mal se nota. Muitas vezes precisamos prestar atenção na pessoa para ver se realmente está com o microfone.

Levíssimos – pode ser usado por horas e horas e ninguém vai reclamar. Para quem usa óculos, uma maravilha.

Excelentíssimos – são mics de qualidade sonora excelente, não distorcem fácil (o ATW chega a 126dB, o Countryman a 130dB sem distorcer)

Dificílimos de regular – seja numa Ciclotron CSM, numa VEGA, numa Mackie ou em um console Soundcraft, esses mics não são fáceis de regular não. Quem tem pouca experiência vai passar muito aperto (até quem tem muita experiência passa algum aperto). O AT-892, nesse aspecto, é bem melhor que o Countryman, mas ambos são mics que exigem passagem de som antes, sob pena de demorar vários minutos para se encontrar a melhor equalização. E cuidado: por serem ominidirecionais, são muito sujeitos à microfonias.

Fragilíssimos – é o lado ruim da história. São mics muito frágeis mesmo. Mas não é para menos. O cabo do Countryman, para se ter a ideia, tem 1mm de espessura! :shock: :shock: Isso mesmo: 1 mm de espessura externa, ou seja, depois do isolante, ainda tem dois cabinhos de menos de meio milímetro cada. Só para se ter a ideia, a Pride (importadora oficial dos Countryman) simplesmente não conserta os mics, dá outro novo se houver problema durante a garantia. Depois de encerrado o período, eles mandam comprar um novo.

Caríssimos – é a consequência da excelência e da fragilidade. O Countryman é encontrado nos EUA na faixa dos U$ 400,00, e no Brasil (via importadora oficial Pride) é encontrado na faixa dos R$ 1.800,00 a R$ 2.100,00. O Audio Technica é mais “barato”, R$ 1.500,00.

Ah… esse é o custo só do mic, sem o sistema de transmissão. Com o sistema de transmissão, pode colocar aí preços de R$ 3.000,00 para cima, a depender do sistema.

Bem, exatamente por causa dos preços e da fragilidade, não é um tipo de microfone que você deixa na mão de qualquer pessoa. Eu os comparo a um bebê prematuro, o qual você tem que dosar a força da mão até para não machucá-lo. O mesmo acontece com esses mics: já vi gente manuseando o Countryman com tanto descuido que me deu dor no coração.

Geralmente, lá no Anfiteatro, para vocês terem ideia, NÓS (da equipe de som) é que colocamos e tiramos o mic da pessoa que vai usar. Não deixamos sequer que os usuários encostem a mão.

Por outro lado, há uma ordem. Esse mic só pode usar com alguns pastores, não com todos. Sério: a administração do Anfiteatro permite o uso em determinada condições, mas não com outros. Só que… aquele monte de pastor amigo nosso também quer usar, mas a gente tem que pedir desculpas e dizer que não pode, não deixam… A maioria entende, mas dói no coração da gente não poder ajudar.

Assim, eu vou contar para vocês, busquei por muito tempo um microfone earset semelhante, que fosse BOM, BONITO e BARATO. Bom no sentido de ser resistente (ou não tão frágil que quebre à toa) e de também não distorcer (pelo menos não tão fácil). Bonito no sentido de ser também fino e leve. Barato porque R$ 1.500… ninguém merece…

E eu testei. Testei inúmeros. O primeiro foi o Karsect HT-3, um mic headset (prende nas duas orelhas) bem legalzinho, e barato. Dá para comprar por R$ 80,00 em qualquer loja.

http://www.karsect.com/en/products.aspx?product_id=234

Vantagens:
– preço baixo
– por prender em duas orelhas, ele fica bem firme (às vezes melhor que o Countryman, que pode se movimentar e sair do lugar)
– qualidade sonora razoável.

Desvantagens:
– por prender em duas orelhas, ele não funciona em quem tem “cabeção”. Simplesmente o arco não chega na outra orelha da pessoa.
– distorce fácil. Qualquer um que fale mais alto vai dar problema. Dá para melhorar isto chegando a cápsula um pouco para trás (sim, dá para mexer um pouco, há um ajuste. Aliás isto é bom para colocar o mic na melhor posição possível, que é o canto da boca.), mas mesmo assim…

Imagem

Imagem

Uma coisa bem legal é que ele pode ser adquirido em uma diversidade de conectores. O miniXLR de 3 pinos pode ser usado com Karsect, AKG, Lyco, TSI. O miniXLR de 4 pinos (eu nunca vi, mas está no catálogo) com transmissores Shure. Já o plugue P2 pode ser usado com alguns sistemas Karsect, TSI e Sennheiser.

Eu assisti um culto onde o pregador usava esse microfone. Ele tinha grande dinâmica (conheço-o, dá trabalho, só fica bom com compressor), e com esse mic, na hora em que ele gritava o mic distorcia muito, a ponto do som sumir por alguns segundos. Os meninos me mostraram, o problema não era mesa nem nada, era o próprio microfone.

Depois dele, continuei tentando. O próximo que comprei foi o TSI HS-Fine.

http://www.tsi.ind.br/site/produtos-inf … subcateg=5

Enquanto o Karsect sequer tem especificações técnicas (eu tentei achar, até no site chinês, http://www.karsect.com, mas nada há), esse agora já tem alguma coisa de especificações:

MICROFONE:

Padrão polar: omnidirecional
Resposta de frequência: 20Hz 20KHz
Sensibilidade: -35db +- 3db (0db=1VPa At 1KHz)
Impedância de saída: (2,2 KΩ +- 30% A 1KHz)
Máxima voltagem admitida: 10 V
Voltagem de trabalho: 2 V
Conector mini XLR ou P2 com rosca
Peso: 0,100 kg

Mas não tem curva de resposta, não tem “SPL máx sem distorção”, nada além do básico (muito básico).

A foto do site é essa aí:

Imagem

Mas não é o mic que eu comprei não. Apesar de vir na caixa como TSI HS-Fine, esse aí é a cara do Karsect HT-3C. O que eu comprei é cardióide e com a cápsula maior (exatamente para poder ser cardióide). Quando puder, coloco uma foto dele. Ah sim, paguei R$ 140,00 nele. Caro…

O mic é muito parecido com o HT-3C, mas tem algumas diferenças. Também prende em 2 orelhas, também não serve em cabeção, etc. Mas a sua haste é mais comprida e reta (a do Karsect faz uma curva, acompanhando o rosto), terminando na cápsula maior.

Por causa da haste mais comprida, ele fica mais afastado da boca, e sim, distorce menos que o HT-3C (que fica grudado no canto da boca). Por causa de ser cardióide, descobri que dava para colocar uma caixa de retorno atrás da pessoa, jogando o som para a frente (o mic vai estar “de costas” para caixa) sem problema. Usei assim algumas vezes.

Bom? Melhor que o Karsect? Vale o investimento… Pergunta difícil. Não chegava nem perto do que eu procurava, mas talvez uma alternativa ao HT-3C.

Ah sim, o Karsect funcionou de primeira no meu transmissor AKG WMS 40, mas o TSI, mesmo também sendo miniXLR de 3 pinos, eu tive que refazer a solda para funcionar. Trabalhoso, já que miniXLR é um conector bem pequeno, mas nada de mais.

Isso em 2007, 2008. Na falta, à época, de qualquer outra alternativa no Brasil, fui procurar lá fora, no Ebay.

É incrível. Se pesquisarmos por “mic earset” no Ebay, lá vamos encontrar mais de uma dezena de modelos diferentes, com preços para todos os gostos. Enquanto aqui esses mics são raridade, lá fora parece ser muito comuns.

Achei dois modelos, ambos no limite da importação direta sem impostos: um de 40,00 dólares e outro de 20,00 dólares. Ah sim, isso sem frete… e sem impostos. Deu um total de R$ 240,00, incluindo aí despesas com os mics, frete, IOF (que tem que pagar ao comprar com cartão de crédito, e até uma “gorjeta” para o amigo que comprou no cartão dele – eu não tenho cartão).

O de 20,00 dólares é esse aqui:

http://cgi.ebay.com/LIGHT-Skin-Tan-Colo … 53e225c1d6

Imagem

Imagem

Dinheiro jogado fora. Apesar de ser de uma orelha só (isso é muito bom), o mic tem sonoridade ruim, e o pior: a haste do mic não prende firme no suporte da orelha, fica girando. Algumas vezes que eu fui usar e, com o uso, o mic virou sozinho e passou a apontar para baixo. Que vergonha…

O segundo, de 40,00 dólares, foi um Exectone, esse aí abaixo:

Imagem

Especificações agora de encher os olhos:

Specification:
– Element: Condenser
– Polar Pattern: Omni-Directional
– Frequency Response: 20Hz – 20kHz
– Sensitivity: -35 +/-3dB 1V/Pa
– Output Impedance: 2k Ohm +/-30%
– SPL Max: 140dB :D :D :D
– Operating Voltage: 0.8 – 5V
– Dimension: Microphone: 9 mm long, 5 mm diameter
– Boom: 110 mm long, 1 mm boom diameter
– Cable Length: 1.2 m
– Net Weight: 14g

Imagem

Só teve um probleminha… o arco para a orelha… ENORME. Devia caber no gigante Golias!!! O mic simplesmente não dava para usar, ele ficava muito folgado em qualquer pessoa, nunca prendia direito. A sonoridade era muito melhor que o anterior, mas de que adianta? Isso que dá comprar sem olhar antes…

Em poucos dias eu perdia a paciência com o mic (eu estava usando Band-Aid para segurar no lugar) e torci a haste, para diminuir o tamanho da orelha. Torci a haste e joguei o dinheiro no lixo: romperam-se os fios internos.

Cansado, comprei um Countryman usado. Paguei R$ 800,00. Minha maior compra via MercadoLivre, deu um medão de não chegar, de chegar com problema… Mas chegou tudo bem. Agora, dá um medão de usar, de estragar… De qualquer forma, melhor comprar logo o que eu queria do que ficar jogando mais dinheiro no lixo.

Ah sim, na hora de comprar, a gente escolhe o padrão do conector. Escolhi AKG e Ok, resolvido.

Ok, comprei mas… e se quebra? Esse bicho é muito frágil, preciso de um backup… e lá vamos nós de novo.

Visitando São Paulo por causa da AES, vi estes dois CSR:

Imagem

Microfone Auricular Mini CSR 415 (Codigo:10325)
Especificações:
Type: Unit condenser
Size: 4.0 x 1.5mm
Directional: Omni-directional
Frequency response: 20 ~ 20.000Hz Sensitivity (0dB=1V/Pa at 1KHz) : -45 +/- 3dB
Output impedance: 1000 Ohms +/- 30%
Max.SPL: 130dB
Cord: 1.5mm – 1.2m
Output connector: 3pin or 4pin Mini XLR conector, or 3.5mm plug
Acessory: Windscreen

E também esse aqui:

Imagem

Microfone Mini Ear CSR 415 (Codigo:10326)
Especificações:

Type: Unit condenser
Size: 4.0 x 1.5mm
Directional: Omni-directional
Frequency response: 20 ~ 20.000Hz Sensitivity (0dB=1V/Pa at 1KHz) : -45 +/- 3dB
Output impedance: 1000 Ohms +/- 30%
Max.SPL: 130dB
Cord: 1.5mm – 1.2m
Output connector: 3pin or 4pin Mini XLR conector, or 3.5mm plug
Acessory: Windscreen

Os vi por preços muito variados. Eles iam de R$ 199,00 a R$ 399,00, a depender da loja. O primeiro, de duas orelhas, cheguei a ver de R$ 199,00 a 330,00, o outro (de uma só orelha) de R$ 250,00 a R$ 399,00. Caramba!!! E para produtos dessa marca (que pessoalmente tenho um monte de ressalvas), não acho que vale.

Quanto ao primeiro, igual ao Karsect, sem comentários. Cansei de mics desse tipo. Eu queria um de uma orelha só. E por mais que esteja escrito Máx SPL = 130dB, já sou escaldado o suficiente para não acreditar muitos em certas especificações técnicas dessa marca.

Este segundo, de uma orelha só, eu já havia visto e testado no Anfiteatro. Apareceram lá, junto com sistemas TSI (cheguei a ligar para a TSI para saber se era deles, confirmaram que não era). Testamos, gostamos (boa sonoridade), mas vi dois problemas:

– a haste do microfone é bastante rígida. Não chega a ser desconfortável, por ser rígida vai durar muito, mas também não é uma maravilha. Depois de algum tempo de uso, vai cansar, vai doer a orelha.

– ele vai estourar exatamente onde o fio entra dentro do apoio para o dedo. Quando colocamos, era fácil de notar o pessoal (quem estava usando o mic) ir com o dedo naquele ponto da junção do fio com a haste, e não no início da haste, onde tem o reforço para se colocar o dedo.

Assim, pensei longe (na durabilidade dele) e… ficou na loja.

Ops, já ia me esquecendo. Voltem a história.

Depois dos mics earsets comprados pelo Ebay e antes de comprar o Countryman, eu comprei um Nady HM-10. Isso foi bem antes da viagem para São Paulo.

O Nady está aqui à venda:

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB- … e-opco-_JM

Imagem

Imagem

Imagem

Pela primeira vez, até agora, eu tive um mic headset “fininho” (em comparação com o Karsect HT-3C e o TSI HS-Fine, e mesmo em comparação com o Exectone, que vinha com especificações, mas sem curva de resposta), eu agora tinha especificações completas e finalmente, uma curva de resposta de frequência.

Mas aqui cabe um “momento nostalgia”. Eu trabalhei com Nady na época em que comecei a trabalhar com sonorização, lá no início da década de 1990. Bons mics, eu gostava muito. Por outro lado, naquela época não tinha tanta opção… Acabei comprando por conhecer a marca.

Comprei, caríssimo, R$ 299,00, chegou. Caixa legal, manual, especificações técnicas. Impressão: sonoridade igual à do HT-3C, sem tirar nem por. Decepção. Coisa boa: diferente do Karsect, não distorce. Mesmo com uns bons gritos, não distorceu. Bom mic, bem interessante, mas com as mesmíssimas desvantagens: não cabia em cabeção.

Aí sim. Cansei de ter gastado uma fortuna (R$ 80+140+240+299 = 759,00) em mics e comprei o Countryman!

Ah, foi outro que eu tive que mudar a solda do plugue para funcionar com o AKG. Mais para frente vocês verão porque isso foi importante.

Agora, vamos voltar a São Paulo, AES2010, estande da LeSon.Quando eu recebi do MarceloCavic os catálogos que ele juntou na Expomusic 2009, no catálogo da LeSon eu vi como lançamento o HD-85S.

http://www.leson.com.br/v1/produtos/microfones/index.php?cat_id=18

Imagem

Não dei muita atenção na atenção. Sem ver e sem a famosa “Máx dB SPL”, eu não me importei. Mas achei legal, e se eu o achasse por aí, ia comprar. Mais um para a coleção.

Na AES2010, a LeSon montou um estande, e tinha esse mic. Eu pude pegar, sentir, olhar, estudar, tudo, menos testar (não deu para ver a qualidade sonora, não tinham nada para testar).

Mas gostei muitíssimo:

– leve / fino / discreto / não machuca a orelha / confortável

– o local de pegar no mic é reforçado, ninguém vai pegar no cabo, arrebentando-o. A própria haste em volta da orelha tem um reforço de borracha muito, mas muito interessante.

– ele tem um anelzinho de borracha, que afasta-o um pouco da pele do usuário, o que é muito bom. Em vários headsets de duas orelhas (HT-3C e o Nady NM-10), eu tive problemas com usuários reclamando que o roçar do mic na pele do rosto incomodava. Não dava barulho, mas incomodar é fogo. Aliás, o HT-3C já descascou todo por causa do suor do rosto das pessoas.

– vem em uma capa de couro (de verdade), igual a do Countryman. Show!!!

Mas eu tive a oportunidade de conversar com o Eng. João Becrei da LeSon. Comentei com ele sobre o Máximo dB SPL suportado pelo aparelho. Ele comentou:

“nos testes, é de 110dB, o que equivale a uma pessoa gritando alto. Mas cuidado, é distorção dele, às vezes quem distorce bem antes é o sistema onde ele está ligado”.

Nada como falar com quem entende. 110dB não é uma maravilha mas vai me atender em 95% dos casos sem problema. Quando ele comentou que o preço para o consumidor seria inferior a R$ 400,00, aí então fiquei convencido mesmo a comprar um.

Bem, querer comprar é uma coisa, achar onde comprar é outra…No dia seguinte, pela manhã, rodei TODA A SANTA IFIGÊNIA atrás desse mic. Simplesmente ninguém tinha. Voltei ao estande, foi uma briga – eu querendo comprar o microfone, eles dizendo que não poderia, que não podiam emitir nota fiscal, blá-blá-blá.

Tive que voltar à Vitória/ES, conversar com um amigo lojista, conversar com o representante LeSon no Estado (ele nem conhecia o microfone), pedir para eles acionarem o Eng. João Becrei para comprar uma única peça (é porque a loja tem valor de pedido mínimo, esse o Eng. João fez sem exigir valor mínimo).

Paguei R$ 250,00 à loja (como eu sabia o custo, o representante me falou, descobri que meu amigo não é tão amigo assim, mas comércio é comércio, não tem jeito) por um microfone earset… com fio.

Sério: eu pensando no earset com conector miniXLR de 3 pinos que eu vi no estande, e me chega um mic exatamente igual a esses lapelas da LeSon, que vem com um compartimento para a pilha. Volto a ligar para o representante. Segundo ele, esse HD-85S só é vendido ou com fio (o que eu peguei) ou junto com o sistema sem fio (aí sim com o miniXLR), mas o custo sobe para R$ 500,00 (para consumidor final).

Ok, sem problemas, só cortar o fio fora do compartimento de pilhas e soldar um miniXLR que eu tenho (aliás aproveitei a viagem e comprei alguns na Torau, R$ 12,50).

Mas antes vamos testar ele na versão com fio… Excelente microfone. Fácil de regular (!!!! – para um earset ominidirecional, fiquei surpreso), todo mundo gostou, sem distorções leve, discreto e etc. Mas quem em sã consciência vai comprar um mic desses para usar com fio? Então vamos colocar o miniXLR nele!

Cortar o fio foi fácil, mas soldar…. que surra! Eu não consegui soldar o conector lá. Nem com ferro de 20W, nem com ferro de 60W, nem com pasta de solda, nem nada!!!! O fio todo era extremamente resistente ao calor, a tudo! Achei fantástico: o fio, que no Countryman é tão fino, aqui continua fino, leve, e muito resistente.

Liguei para o Eng. João Becrei de novo. Ele me explicou que é usado um processo de solda especial, e que realmente não seria possível fazê-lo em casa. Indaguei porque a cobertura de borracha não queimou com o calor (teve hora que deixei o ferro em cima por vários e vários segundos), ele disse uma palavrinha só: é fibra de kevlar, usado em coletes à prova de bala. Enfim, se ofereceu para que eu enviasse o mic, o conector, o padrão de soldagem que eu queria e que então faria o trabalho, sem custo.

Feitos os trâmites de envio e conserto, o bicho chegou. Pluguei no AKG, fui testar.

Gente, vou resumir porque já escrevi demais. Pela primeira vez achei um substituto DECENTE para o Countryman, AT-892 e afins. O mic é ótimo, distorce muito pouco (só se alguém gritar, o que não é raro de acontecer em certas denominações, mas pelo menos é honesto ao afirmar 110dB, um valor razoável, sem exageros), e é extremamente mais fácil de regular do que o Countryman. Usei em cultos, usei no Anfiteatro, foi só elogios de todo mundo. Quando falei do preço, quase caíram para trás.

Essa minha busca vem desde 2007: um substituto honesto, a um preço decente, para o Countryman. Finalmente, minha busca terminou.

———————
Mea culpa (http://pt.wikipedia.org/wiki/Mea_culpa)

Já falei muito mal da LeSon aqui no SomAoVivo. Eles tem sim seus problemas, continuam fabricando microfones idênticos a 20 anos atrás (mas de roupa nova, hehehe) quase quebraram, mas se reergueram, voltaram até a investir em exposição em feiras.

Para mim, com esse lançamento, a empresa se redimiu. Por mim, eles deveriam fabricar esse mic com diversas opções de conectores (miniXLR de 3 pinos, de 4 pinos, padrão Audio Technica, P2 da Sennheiser, etc), porque ele vale cada centavo. Nosso mercado é carente dessa opção, tão útil nas nossas igrejas.

1 Comment on "LeSon HD-85S e a busca por um substituto ao Countryman"

  1. Por recomendação deste anúncio, comprei um HD85s, porém, achando que poderia comprar outro, doei para um amigo que precisava mais do que eu. Mas não encontro de forma alguma mais e não sei mais o que fazer. A LESON faliu? Como faço agora, adorava meu earset.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Fechar