Mais que um “rosto bonito” – Behringer X32 Compact

Olá pessoal, recentemente adquirimos para o meu trabalho na Câmara Municipal uma X32 Compact, que será utilizada no novo plenário que está em fase final de construção. Resolvi então postar sobre as minhas impressões sobre o console neste post.

DSC09323

Recebi o console e a primeira impressão que tive foi : -Que mesa bonita!!! – algo que pelas fotos na internet eu realmente não achava… assim que desembalei me pareceu muito mais bonita, ainda mais ao ligar a mesma; pensei comigo mesmo: “Bonitinha é, agora vamos ver se tem conteúdo” e como no mesmo dia já tinha Sessão Ordinária na Câmara resolvi utilizá-la de imediato, um pouco apertado por não conhecer a console, mas como eu sempre digo:“passar alguns apuros é bom, pois faz com que nós aprendamos mais com a situação”… Assim saiu a SOUNDCRAFT EPM 12 e entrou a X32 Compact…

Primeira coisa que fiz ao ligar a mesa, já que eu tinha pressa em usá-la, foi fazer (ou tentar a princípio) a atualização do Firmware -que veio com a versão 1.15 – para a versão 2.06; realizei o passo-a-passo indicado pela Behringer e consultei outras fontes, e os procedimentos não funcionavam…  A mesa ficava esperando o flash drive, fiz com a tecla View do USB pressionada, e nada… Ai resolvi tentar uma versão do Firmware mais antiga a 2.05 e nas duas maneiras e o resultado foi o mesmo, até que, mesmo me borrando de medo de dar um “pau” no console, enquanto a tela de atualização estava “esperando” o pendrive, retirei o mesmo e coloquei rapidamente de volta, e pronto!!! A Console reconheceu o arquivo de atualização e fez o processo… daí fiz o mesmo processo com o Firmware 2.06 e foi de primeira…

Só após fazer isso fui analisar melhor o console e começar a fuçar nela…

                                                                                                  Aspectos Físicos:

DSC09315

Tamanho – A mesa é pequena, não fosse as laterais com a saída de fones/pegador praticamente caberia num Rack 19”, no meu caso ficou SOBRE o meu Rack onde estava a EPM 12. Apesar de pequena e da aparência, o console não é tão leve pelo menos não tanto quanto eu pensava que seria…

Os Faders pra mim são a parte mais “delicada” do console, feitos de plástico com acabamento “cromado” dão a impressão de serem frágeis… Não custaria nada a Behringer colocar esses faders de metal escovado, mudaria pouco na aparência em fotos, mas daria um acabamento muito melhor “Ao Vivo”…

Outro fator é que assim com outros consoles digitais, não tem um simples recurso que poderia aumentar e muito a vida útil dos faders, e que consoles analógicos brasileiros de baixo custo como os da Ciclotron possuem há muitos anos: o protetor de poeira; uma simples membrana que pode economizar muito $$$ pro consumidor, principalmente nas estradas brasileiras.

Os demais botões e Knobs eu gostei bastante da qualidade, aparentam resistir bastante tempo…

DSC09316     DSC09320

Os visores LCD individuais são um show aparte, ajudam bastante na identificação mais rápida de “o que é o que”, num console digital com poucos faders e muitos layers são um recurso quase que indispensável, a qualidade é razoável, pra mim a Behringer poderia colocar uma resolução um pouco melhor para exibir as imagens de identificação que na tela de 7” aparecem muito melhores, mas no geral é ótimo…

DSC09318    DSC09319

Os Meters individuais sobre os faders também ajudam bastante, já que não tem que paginar até a página METERS pra verificar o nível de cada canal… indicam também no caso do primeiro banco de faders o uso ou não de compressor e gate, e no caso do segundo banco se a manada é pré-fader além da atuação ou não do compressor.

Layout de faders e controles de parâmetros:

Faders:

O layout de uso da X32 Compact é dividido em dois bancos de 8 faders mais um fader do MAIN…

No primeiro banco de faders, temos acesso principalmente aos canais de entrada nos layers 1-8, 9-16, 17-14 e 25-32 além dos canais de entrada auxiliares 1-6…

No caso da Compact pra banda usando 32 canais acho um pouco complicado de ficar operando em 4-5 layers para tudo… É possível sim, mas requer uma intimidade maior com a mesa além da banda, pra já ter na mente onde é o que… Mas é possível operar assim, basta apenas um pouco mais de esforço…

Ainda no primeiro banco de faders podemos ter o acesso das vias de retorno de efeitos além dos masters dos bus… 1-8 e 9-16…

No segundo Banco de faders temos o acesso aos grupos de DCA e BUSES além de envios para Matrix e MAIN/CENTER…

Os controles de parâmetros:

No geral são muito fáceis de usar, com cada segmento tendo a tecla VIEW para jogar na tela de 7” o que está fazendo… Interruptores liga/desliga de compressor, gate,equalizador,Low Cut… enfim bem mais simples o acesso as funções do que por exemplo na 01V96. Ainda sobre a tela, bem que poderia ser touchscreen isso facilitaria bastante, hoje em dia não é tão caro assim o recurso, pra mim vale o investimento.

DSC09321

O que achei negativo na Compact é que na sessão de controles no caso do compressor e gate só temos o Knob para controle do Threshold e fica confuso ter que mexer neles e nos Knobs abaixo da tela para operar o mesmo módulo… No meu ver a Behringer deveria ter feito um sacrifício a mais ( no preço e espaço) e incluído os demais controles no módulo, mesmo que fossem comuns ao gate e compressor, com uma chave fazendo a alteração entre os dois algo assim… pra mim pessoalmente ficou confuso…

   Utilização:

A utilização da console achei muito simples por estar acostumado com a 01V96 que é bem mais cheio de telas pra fazer as coisas, só senti dificuldade nos envios para os auxiliares, pois como estava habituado com a 01V96 ainda não tinha compreendido bem o conceito do Sends on Faders e como funcionava na prática com a X32 Compact…

Nesse ponto achei muito interessante que, você tem dois modos de fazer o envio de sinal para os auxiliares… Selecionando a tecla Sends On Faders se você selecionar um canal de entrada no primeiro grupo de faders, o segundo banco de faders assume a posição de envio daquele canal para os respectivos auxiliares… Ou seja, eu seleciono o canal 1 e tenho no segundo banco de faders os níveis de envio pra cada auxilia do canal 1…

Já na segunda opção, se você selecionar um Bus, o primeiro banco de faders assume a posição de envio de cada canal para aquele Bus… Esse é basicamente o conceito da 01V96, mais próximodos consoles analógicos…

DSC09324

Patch – Um ponto que achei estranho é o modo de se fazer é o Patch que a princípio é por blocos de 8 em 8… O que dificulta e muito a flexibilidade no roteamento, para esse endereçamento é usado o Menu Routing… Mas depois descobri que é possível também alterar o patch individualmente de cada canal diretamente na configuração do canal selecionando o mesmo e indo a HOME>CONFIG na caixa Source…

Gravação – A gravação via pendrive é bem simples, 2 canais em formato WAV mas é possível fazer o roteamento do sinal a ser gravado que pode ser do master, auxiliar ou até mesmo um direct out de algum canal… com a configuração de ajuste de TRIM você pode gravar o sinal no nível que deseja sem precisar alterar a fonte do sinal em si, o gravador tem comandos bem simples e depois de configurado a fonte de sinal e TRIM é só dar REC e pronto… depois é só localizar o arquivo e dar PLAY que ele já reproduz…

DSC09326    DSC09326

A gravação via X-Usb pra mim foi um pouco mais complicado mas por erro meu, pois após instalar o driver da placa a mesma constava nos itens de hardware do Windows mas não ficava disponível para utilização pelo Windows, e o Audacity que eu uso pra gravar o áudio das sessões não encontrava a X-Usb… Então resolvi baixar o REAPER e com ele consegui localizar o driver ASIO da X-Usb que com o Audacity não reconhecia… a gravação funcionou perfeitamente…

Nota: No DAW é preciso adicionar as faixas e fazer o endereçamento individual de entrada e saída… no caso de não querer ou precisar voltar os canais individualmente pra mesa, é só endereçar o master pra um par de saídas (no meu caso 1 e 2) e depois fazer o patch para algum canal de entrada, assim depois de gravado, quando se reproduz ele volta em L e R em dois canais do console que posso monitorar pelo monitor out, fones ou endereçar pra qualquer BUS ou saída analógica…

DSC09327

Efeitos – Os efeitos pela natureza do meu trabalho aqui não utilizo, apenas utilizei um GEQ no Master para fazer a correção da resposta das caixas, e achei muito fácil de utilizar, os faders do 2 banco fazem a função dos controles do equalizador, nesse ponto creio que seria melhor se os dois bancos fizessem essa função de uma vez pra não ter que ficar mudando o “layer” que torna o processo mais longo…

CONTROLE REMOTO

No mesmo dia em que o console chegou fiz o download da versão beta do App para Android o Mixing Station (versão grátis do App) para testes, e com o meu celular (bem fraquinho e pequeno) consegui controlar o console sem maiores problemas, conectando a console em um roteador comum. Fiz testes rápidos e controlei Mute, manada pra PA e Buses, PAN e outros… Algo tão simples que eu sonho até hoje conseguir fazer com a 01V96 da minha igreja com um App como o Airfader…

Ainda não comprei a versão paga, e não sei se com ela posso criar vários usuários com níveis de acesso diferentes (login e senha), mas é um passo muito importante para um uso mais intensivo da mesa, que permite várias outras possibilidades, como o da monitoração pessoal controlada via smartphone sem a necessidade de grandes investimentos por parte da igreja nem dos usuários (iPhone).

 No geral a console me surpreendeu visualmente por eu não acha-la tão bonita nas fotos, a aparência ficou show de bola… não posso dizer que me surpreendeu muito no desempenho, pois eu já conhecia a maioria das características, porém a experiência de uso me agradou bastante e o resultado mesmo com o sistema de som (horrível) foi excelente!!!

Daqui a alguns dias estaremos adquirindo o restante do sistema para o novo plenário (postarei aqui a matéria do mesmo) com um S16 e além das caixas de PA e monitor, e estarei postando sobre a utilização da X32 juntamente com o S16.

About the Author

Dener Pereira da Rosa
Dener Pereira da Rosa
Técnico de Som 1° Igreja Presbiteriana Renovada de Juína, Operador de Áudio e Vídeo Câmara Municipal de Juína e Produtor de Eventos

1 Comment on "Mais que um “rosto bonito” – Behringer X32 Compact"

  1. Aí Marco Aurelio Ferreira Gomes Nunes

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Fechar