StudioLive 32 Presonus – Novo concorrente no mercado

A Presonus já contava com sua linha de consoles digitais há alguns anos com a linha StudioLive. Logo depois a empresa acompanhando a tendência dos consoles/stagebox com a linha RM. Agora a Presonus remodelou sua maior console e, pelo que parece, respondeu à altura às críticas dos usuários.

presonus-studiolive_32-left34_big

StudioLive 32

A nova StudioLive 32 tem várias mudanças importantes em relação à sua predecessora, a StudioLive 32.4.2 AI. A primeira e grande mudança é talvez a mais crítica mais pesada sobre a primogênita: os faders! Agora ela conta com faders motorizados, algo que fazia muita falta aos usuários, e inviabilizava o uso ao vivo.

presonus-studiolive_32-top_big

O layout dos faders também mudou pra melhor (na minha opinião), com a separação de um grupo de 8 faders para o lado direito do operador. O Master e outros controles importantes mais centralizados permitem uma flexibilização maior no uso destes faders, podendo assumir papéis de master de aux, de subgrupos, matrizes e outros. Aliás, nada que já não seja utilizado pelos concorrentes a algum tempo, como a X32.

Fat Channel

Um ponto negativo na minha visão particular foi o FAT CHANNEL, como a Presonus chama os controles. Houve um remodelamento profundo no console em relação ao antecessor. O mesmo poderia ser modificado pra melhor e, pra mim é o pior “setor” da mesa.

fatchanel

Pra mim o “FAT CHANNEL” da sua predecessora é MUITO melhor que o atual (o que não significa ser o melhor). Para, mim das consoles deste porte, o melhor pertence às Soundcraft SI (veja na foto abaixo). Possuem desenho mais prático, com seqüência lógica de módulos, knobs dedicados e indicação de valores com leds. A Presonus perdeu uma grande chance de melhorar nesse conceito.

fat-soundcraft

Display

Se falhou no Fat Channel, por outro lado uma crítica pesada dos usuários foi atendida. O monitor LCD que era horrível e tinha pouca usabilidade foi reconcebido, e agora conta com um display de 7” Colorido sensível ao toque. Com o novo firmware do console, o display ajuda e muito o trabalho do operador. Apesar dessa melhora significativa, para uso ao vivo, a própria Presonus dá a dica de se usar vários iPads como extensão da superfície de controle e monitor. Confesso que quando via a imagem pensei por um instante que a console tinha saída para vários monitores a fim de expandir a visualização dos recursos, o que não seria uma má idéia aliada a um mouse e teclado como nas consoles maiores de outras marcas. Uma pena pois seria um diferencial interessantíssimo.

screenshot-www-presonus-com-2016-11-01-10-04-49

Quanto ao controle remoto, a console manteve a “pegada” e trás várias opções de controle (PC, MAC, IOS e Android), com aplicativos e permissões/usabilidades diferentes. Um recurso interessante por exemplo é o Q-MIX, que permite ao técnico criar vários usuários (até 10 simultâneos), dando permissão para que os músicos abram o app em seu celular, conectem-se ao console e controlem seus auxiliares de retorno, com interface bem simplificada. É uma ótima pedida para monitoração pessoal (via fones) de baixo custo.

Falando em monitoração pessoal, a Presonus promete para 2017 o lançamento de seu próprio sistema de monitoração pessoal (mixers pessoais), além de stageboxes que utilizarão o protocolo AVB já disponível no console. A marca cita um “ecossistema completo”, e já dá pra imaginar que farão algo semelhante ao que a Behringer fez com a linha X.

Interface de gravação

Mesmo com todas essas mudanças a console não deixou de lado sua vocação para o uso em estúdios. A mesa conta com controles de DAW (play, pause, rec e outros) e uma nova interface de áudio para comunicação. Agora a interface vem com 38X38 USB 3.0 ou 55X55 AVB, além de oferecer um recurso novo: a gravação e reprodução multipista via cartão SD. Isso mesmo, com a nova StudioLive 32 será possível gravar multipista ou fazer SoundCheck através de um cartão SD, dispensando o uso de um PC. Isso facilita e muito a vida tanto no ao vivo como no estúdio, principalmente em caso de algum imprevisto com a máquina, podendo utilizá-lo com um backup do que está gravando via DAW.

presonus-studiolive-32-back

Características físicas:

  • 16 Entradas XLR
  • 16 Entradas XLR Combo
  • 02 Entradas Estéreo TRS
  • 12 Mix Out XLR
  • 04 Mix Out TRS
  • 02 Master Out XLR (com controle de nível)
  • 01 Mono Out XLR (com controle de nível)
  • 04 Sub-Groups Out TRS
  • 02 Monitor Out TRS
  • Tape in/Out RCA

About the Author

Dener Pereira da Rosa
Dener Pereira da Rosa
Técnico de Som 1° Igreja Presbiteriana Renovada de Juína, Operador de Áudio e Vídeo Câmara Municipal de Juína e Produtor de Eventos

8 Comments on "StudioLive 32 Presonus – Novo concorrente no mercado"

  1. Finalmente faders motorizados

  2. Giorgio henrique de assis | 2 de agosto de 2017 at 14:42 | Responder

    Boa tarde amigo Dener!
    Creio que a mesa deva ser sim uma boa alternativa,o que não consegui ver foi o slote de dante que a tempos esta sendo uma tendência, gostaria de poder usar ela em uma rede sem precisar de multicabos e podendo ainda usar as x32 em outros ambientes e até quem sabe as Yamaha, midas,allen heath ,etc…kkk é claro que o timbre deva ser ótimo, as facilidades de usar um cartão SD para multitrack, claro que seria uma mesa de poucos, mais a própria placa para usar os plugins da waves. enfim… gostaria de ouvir e quem sabe mudar meu ponto de vista.

  3. Elicio Roque de Araujo | 18 de outubro de 2017 at 16:27 | Responder

    Tenho um Projeto que o espetáculo show conta com público 16.000 pessoas. A Potência operada que quero tem que ser A Mesa Em RMS. A Realeza do Som.
    Contato [email protected]
    Elicio.

  4. luiz gonzaga nunes | 9 de julho de 2018 at 18:44 | Responder

    gostaria de saber onde tem assistencia tecnica da presonus tenho uma 16.4.4 com um problema nos canais.

  5. gostaria de saber onde tem uma assistencia tecnica da presonus pois tenho uma 16.4.4 com probiemas.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Fechar