• This site uses cookies. By continuing to use this site, you are agreeing to our use of cookies. Learn More.

Novos termos - Letra E

TSA

Active Member
#1
Earbuds - O mesmo que earphones. São fones de ouvido bem pequenos, posicionados na orelha bem na "porta" do canal auditivo. Normalmente são simples, baratos, e usados por conta de sua portabilidade e discrição. Não promovem isolamento de sons externos, e é comum acompanharem players de mídia portáteis.


Earbuds.


Earth (inglês) - Terra. É a forma britânica, enquanto o sinônimo ground costuma ser usado no inglês americano.


EASE (Enhanced Acoustic Simulator for Engineers - algo como Simulador Acústico Melhorado para Engenheiros) - Suíte (software) desenvolvida para fazer cálculos, simulações e modelos acústicos. Conta com diversas possibilidades de trabalho gráfico, ou seja, mostra, em imagem, os parâmetros do projeto e suas implicações práticas. Útil para o desenvolvimento de projetos de áudio (e acústica), já que todas as variáveis envolvidas são consideradas, e o trabalho fica mais rápido e preciso.


Exemplo do que é possível fazer com o EASE.


•Efeito Edison - Em 1883, Thomas Edison (sim, ele mesmo, o inventor da lâmpada incandescente) notou que certos materiais, quando aquecidos sob vácuo, podiam emitir elétrons, que seriam atraídos por um eletrodo com potencial positivo (em relação ao material emissor). Edison disse que descobriu o efeito por acidente, exatamente quando testava a lâmpada, sua recente invenção. Mais tarde tal fenômeno se tornou a base para a invenção da válvula. De modo simples: ao se aquecer o material, há emissão de elétrons, "capturados" pelo eletrodo. Aí constitui-se uma corrente elétrica entre eles.


Válvula termiônica, onde se
aplica o efeito Edison.



•Efeito Haas - (psicoacústica) - Quando sons similares chegam a nossos ouvidos, mesmo que haja uma diferença de tempo entre eles (ou seja, um chega mais cedo que o outro), a depender do valor dessa diferença, a percepção é de um único som, ao invés de dois separados. É como se o cérebro "se prendesse" ao 1º som, sem entender que o outro vem de outra fonte. O efeito ocorre mesmo que o 2º som seja consideravelmente mais forte que o 1º (muitas vezes até 10 dB mais forte). Estima-se que uma diferença de até 35 ms na chegada dos sons permita a ocorrência do fenômeno.
Valendo-se desse efeito, é possível ter torres de delay quando necessário, mas sem se perder a sensação de que o som sai inteiramente do PA principal. Basta atrasar o som do delay um pouco além do necessário.
Atribui-se o nome ao alemão Helmut Haas, que descreveu o efeito.


•Efeito proximidade - Aumento na resposta de graves de um microfone quando a fonte sonora está muito próxima deste. Só acontece com microfones direcionais; microfones onidirecionais não estão sujeitos a este fenômeno.


•Effect loop (loop de efeitos) - Canal (na verdade um canal de saída - Send - e um de entrada - Return) para conexão de módulos de efeitos externos. O sinal é enviado ao módulo, é processado, retorna e é misturado ao sinal original "seco". É, por assim dizer, um processamento paralelo.


•Eletreto (microfone de eletreto) - Tipo de microfone muito semelhante aos condensadores (por vezes, é considerado um tipo de condensador). Conta com uma placa permanentemente polarizada em sua cápsula, por isso, não precisa de alimentação externa para funcionar.
No entanto, normalmente a impedância de saída do eletreto é bastante alta, então é comum tais microfones contarem com dispositivos para ajuste da impedância embutidos -- aí sim, por conta disso, acaba havendo a necessidade de alimentação externa (pilhas ou phantom power). A alimentação é para o circuito complementar, não para funcionamento da cápsula.



Cápsulas de eletreto. (Fonte.)


•EMI (Electromagnetic Interference) - Interferência eletromagnética. Indica quanta energia eletromagnética um dispositivo emite, por exemplo.


ESD (elctrostatic discharge) - Descarga eletrostática. Descarga elétrica que ocorre entre objetos com potenciais elétricos diferentes.
E por que é importante, pra nós, saber isso? Simples: componentes eletrônicos são extremamente sensíveis a eletricidade estática. Como equipamentos de áudio são eletrônicos comuns, é importante ter esse conhecimento.
Normalmente, ficamos "carregados" por conta de atrito físico com certos materiais. Por exemplo, se vestirmos roupas de lã.
Para evitar problemas, devemos sempre descarregar a eletricidade estática, tocando em superfícies condutoras devidamente aterradas (a exemplo da parte não pintada de um gabinete de computador), ou mesmo usando aparatos especializados (pulseiras ou calçados anti-estáticos, que ficam em contato constante com o corpo e são aterrados).
Essas dicas são mais voltadas aos momentos de manutenção em aparelhos (quando os componentes estão expostos, ao alcance de um eventual contato físico com nosso corpo), mas nada nos impede, por exemplo, de ter mais cuidado em situações mais simples, como a conexão entre equipamentos.
;)


:arrow:Agora uma curiosidade, hehe:

ESO (equipment superior to operator - equipamento superior ao operador) - Piada comum entre técnicos [nota: fala-se, aqui, dos EUA; é provável que haja algo semelhante aqui no Brasil] usada como código em ordens de serviço de aparelhos que chegam aos postos de assistência técnica sem nenhum defeito.
:mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:


Expander - Processador de dinâmica que, numa definição bastante simples, faz o oposto do compressor, ou seja, aumenta a faixa dinâmica de um sinal.
É definido um valor para início da atuação do expander (threshold); esse valor é abaixo do menor nível de áudio, mas ainda acima do nível do ruído; quando o sinal de áudio fica abaixo do threshold, o expander começa a atuar, reduzindo todo o sinal ainda mais, e, por consequência, o próprio ruído.
Como exemplo, um expander ajustado com uma taxa (ratio) de 1:6: abaixo do threshold, a cada 1 dB de mudança, ele traduz em 6 dB em sua saída, ou seja, para cada redução de 1 dB no sinal de entrada, ele emite na saída um sinal com redução de 6 dB. Uma redução de 2 dB, após atuação do expander, seria de 12 dB, reduzindo todo o ruído de fundo junto.
Efetivamente, a faixa dinâmica é ampliada, porque o ruído também é atenuado, ou seja, o piso de ruído, acima do qual todo sinal deveria estar para ser minimamente aproveitável, é reduzido, fica mais distante do "teto".
Expanders são também componentes dos companders, conjuntos compressor + expander. Companders são utilíssimos em situações em que um sinal precisa ser transportado por um meio com menor faixa dinâmica que o próprio sinal, e ao chegar ao destino precisa ter sua dinâmica original restaurada -- um exemplo disso são os microfones sem fio (ao menos os sistemas profissionais), cuja faixa dinâmica é maior que a suportada pelo sinal de rádio; o sinal, ao chegar ao receptor, é expandido, de modo a retomar sua dinâmica original.