AES – Sociedade de Engenharia de Áudio

Originalmente Publicado na edição nº 187, Junho de 2010, Revista Backstage. Cedido ao SomAoVivo pelo autor.

Nesse mês, após a realização da 14ª Convenção Nacional da AES (Audio Engineering Society – Sociedade de Engenharia de Áudio), peço licença ao estimado leitor para falar sobre a Sociedade e sua importância para nós, que vivemos do áudio, inclusive a todos aqueles que trabalham com áudio nas igrejas.

A AES Nasceu em 1948 com o propósito principal de disseminar o conhecimento do áudio, e 62 anos depois a AES é o principal órgão no desenvolvimento de padrões industriais e recomendações técnicas nas áreas da engenharia do áudio digital e analógico, nas tecnologias de comunicações e acústica.

Através do seu Conselho Técnico, Comitês de Normas e Comissão de Educação, a AES promove a distribuição de informações técnicas e criativas para seus membros globais.

São 23 comitês técnicos de normas, que desenvolvem constantemente a troca de informações e estudos em suas respectivas áreas. Dentre os 23 comitês estão, só para citar alguns,  os Comitês de Alto-Falantes e Fones de Ouvido, Microfones e suas aplicações, Áudio Automotivo, Áudio para Games e Áudio Forense, dentre outros.

Nesses comitês existe uma troca muito grande de informações e estudos. Constantemente esses comitês produzem recomendações ou normas em suas respectivas áreas. Essas recomendações são naturalmente aceitas pela indústria e pelo mercado como padrões.

A AES possui seu jornal, um periódico mensal onde os pesquisadores, engenheiros e cientistas do mundo inteiro publicam seus trabalhos. A primeira edição do jornal data de 1953, e por ele passaram a história, o desenvolvimento e a própria evolução tecnológica do áudio.

A AES não é um sindicato, como muitos que não a conhecem imaginam. A AES é a sociedade de engenharia, não de engenheiros. O propósito dela é a engenharia do áudio e tudo o que se relaciona a ela.

No Brasil a falta de um sindicato presente faz com que muitos esperem dela o que ela não lhes ira oferecer, mas, ao mesmo tempo, não aproveita dela o que ela lhes oferece abundantemente, que é a informação, o conhecimento e o intercambio técnico para o desenvolvimento.

No Brasil, outra cultura que ainda nos incomoda também dificulta e muito esse conceito de disseminação de conhecimento, que é o medo de passar conhecimento. O medo de ser superado por outro, de ter o seu espaço invadido por um terceiro que ele ajudou a crescer. É bem verdade que tem diminuído muito essa cultura, mas, não podemos negá-la.

Infelizmente ainda temos que escutar de alguns “O que a AES me traz de lucro, de benefício”. Muitos realmente não conseguem enxergar, mas, sem uma mente voltada para o crescimento e o desenvolvimento, seja pessoal ou empresarial, é difícil realmente entender.

Quis abrir esse espaço, para comentar quem é a AES, por que acredito que muitos ainda não entenderam. E me sinto obrigado a explicar e discutir o caso.

A AES, além de sua organização institucional, a qual mencionei acima, também organiza ao redor do mundo dezenas de encontros, congressos e convenções, seja em níveis nacionais, como a que participamos recentemente no Brasil, ou as pequenas regionais e locais. Onde a troca de informações e o encontro entre as pessoas é o foco principal.

As convenções possuem suas palestras e convidados, também geralmente é acompanhada por uma área de exposição, uma feira, onde a indústria de uma forma geral apresenta suas novidades ao mercado, onde o intercambio entre o engenheiro de desenvolvimento e o usuário é possível. Um explicando como funciona e o outro aprendendo ou, compartilhando experiências que ajudará o outro a desenvolver mais ainda o produto.

A feira de exposição também é a responsável por viabilizar toda a infra-estrutura para o evento, ajudando a custear as demais estruturas.

O Congresso é o palco onde os estudos são apresentados, onde os engenheiros, desenvolvedores e cientistas submetem seus trabalhos para os demais. Onde novas idéias, novas tecnologias, novos conceitos e tendências são apresentados. Dificilmente você encontrará algo relacionado ao áudio que não tenha passado por um congresso da AES desde sua fundação.

No Brasil temos a felicidade de termos recebido nosso 8º congresso, onde trabalhos diversos foram apresentados e submetidos ao público.

Já os encontros são eventos menores, onde o objetivo fim é proporcionar ao público presente informação sobre o áudio e o mercado. São eventos pequenos que podem ser organizados por poucas pessoas e em locais menores. No Brasil já tivemos diversos encontros regionais.

A AES também possuiu seções estudantis por todo o mundo. São seções organizadas dentro das universidades, faculdades e escolas, onde os alunos poderão ter acesso a informação da comunidade do áudio e fazer intercâmbios. Inclusive, no Brasil temos uma seção estudantil montada dentro do Instituto de Áudio e Vídeo de São Paulo.

Nesse pequeníssimo ressumo sobre a AES é possível ver todos os argumentos possíveis para se filiar e participar dos seus eventos. Se a AES não fosse organizada dificilmente teríamos tamanha concentração de energia, conhecimento e força em um só local.

Os eventos, congressos, encontros, comitês e todos os trabalhos técnicos que sociedade desenvolve só são possíveis porque tem pessoas que se afiliam e contribuem anualmente. Porque temos dezenas de empresas que são mantenedoras da AES e propiciam que tais trabalhos sejam desenvolvidos.

E principalmente, por que tem muitas pessoas que não só acreditam, mas, oferecem seu trabalho voluntário e não remunerado para o crescimento da sociedade.

A Sede da AES fica em New York nos Estados Unidos. No Brasil somos mais uma entre dezenas de seções ao redor do mundo.

Você pode ser um sócio associado, membro ou um sócio mantenedor da AES (nesse caso pessoas jurídicas), também são aceitos os estudantes, sempre com os custos pela metade.

Todo que trabalham com áudio devem se associar à AES, inclusive o pessoal das igrejas.

E não imaginem que à AES não disponibiliza material e conhecimento básico. Acesse o site da AES (aes.org) e procure pelos tutoriais. Participe de uma convenção da AES e assista às palestras de conhecimento básico. Freqüente a AES e você conhecerá pessoas e trocará experiências valiosas. Para ter acesso a seção brasileira da AES acesse (aesbrasil.org)

E com toda a dificuldade que temos de informações, principalmente para nós que trabalhamos com som em igrejas é inconcebível não buscar informações na AES.

E depois disso tudo, ainda devo escutar que é muita publicidade, mas, na verdade, como diz o velho ditado, o caminho das pedras, para o conhecimento que você está procurando é a AES.

Tenho muitos amigos que lêem o jornal da AES é acham que o nível dos trabalhos é muito profundo. Geralmente digo que é verdade, por que é verdade, mas, como mostrei aqui, a AES vai além dos seus trabalhos acadêmicos, que, diga-se de passagem, são fundamentais para o desenvolvimento do áudio. Mas, para quem não vai desenvolver equipamentos e tecnologias, a AES é fonte de conhecimento e informação. Até a próxima!

Be the first to comment on "AES – Sociedade de Engenharia de Áudio"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar