Sennheiser / Kadosh: Separados na Maternidade?

Artigo sobre as "semelhanças" dos dois equipamentos.
É sempre bom ganharmos um presente, e em minha igreja um irmão abençoado resolveu ofertar um microfone de qualidade para a igreja, já que o microfone sem fio que estava em uso estava dando problemas a algum tempo. Ele me pediu uma sugestão, e indiquei o conhecido Sennheiser EW135 G3 pela durabilidade que é notória, e logicamente que pela qualidade que é um dos “padrões” nacionais.
Ele comprou um em uma loja na capital (Cuiabá-MT) e trouxe para igreja essa semana, como em nossa igreja tínhamos um microfone Kadosh que é o “irmão Gêmeo” do G3 com aproximadamente dois anos e meio de idade, resolvi tentar achar diferenças significativas entre os dois para ajudar a identificar possíveis microfones falsificados vendidos como “originais” nas lojas pelo nosso país.
Bom, vamos começar…
Microfone Kadosh

Microfone Kadosh – Cópia do Sennheiser

Microfone Sennheiser EW135G3

Microfone Sennheiser EW135G3

As bases são realmente idênticas, nenhuma diferença física o que diferencia apenas é a serigrafia… notem como a do Kadosh já está com as cores desbotadas…

[IMG]

Acima a visão dos dois microfones com as capsulas retiradas, a direita o Kadosh e a esquerda o Sennheiser, notoriamente mais velho o Kadosh em pouco mais de 2 anos se desgastou muito a pintura praticamente não existe mais, e a serigrafia da cúpula não resistiu também… Na estrutura são muito parecidos…

[IMG]

Aqui vemos o detalhe dos conectores de contato do bastão com a capsula do Sennheiser (kadosh ao fundo) quando abri imaginei encontrar algo bem diferente nos dois, mas a diferença se existe (no desenho) não percebi… confira abaixo a conexão do Kadosh:

[IMG]

Procurei por uma diferença notável entre os dois equipamentos e não consegui encontrar nada de relevante. Isso ressalta que os fabricantes chineses estão fazendo “cópias perfeitas” dos microfones Sennheiser (assim como Shure) e que certamente se esses equipamentos vierem com a serigrafia da Sennheiser poucos poderiam identificar a falsificação.

Justamente por isso a Sennheiser vem combatendo com força a pirataria, já há casos aqui no Brasil onde a mesma deu todo o suporte para confirmar a identificação da falsificação e posteriormente suporte jurídico ao cliente lesado para conseguir na justiça o seu direito garantido perante o lojista.

O fabricante tem essa atitude pois os aparelhos falsificados (assim como os genéricos, como o Kadosh) tem a qualidade muito baixa comparado aos originais, desta forma o cliente acaba comprando gato por lebre, e a marca acabava ficando com a imagem manchada no mercado, além do prejuízo financeiro pela perca nas vendas.

No caso do Kadosh tivemos vários problemas quanto a durabilidade do mesmo, vou colocar uma listagem:

  1. A aparência a pintura durou muito pouco e em menos de um ano e meio já estava no estado que veem pelas fotos.
  2.  qualidade da captação do microfone não era um primor desde o inicio mas deteriorou-se muito com o passar do tempo, com muita captação de “puff” e MUITO médio agudo, a equalização na mesa tinha que ser muito radical pra fazer com que soasse bem.
  3. O compartimento de pilhas a rosca da tampa espanou e para fechar tínhamos que usar como “buchas” pequenos pedaços de papel para firmar.
  4. No fim a capsula acabou morrendo essa semana.

Alguns itens que ajudam a identificar o produto original são itens pequenos como  o Selo de Autenticidade da Sennheiser com QR CODE:

photo_2016-01-22_10-58-07

E a etiqueta com as informações da Importadora Oficial no Brasil:

photo_2016-01-22_10-58-13

E o selo de identificação da Anatel:
photo_2016-01-22_10-58-17

Vale ressaltar aqui um ponto negativo que tive com o microfone ofertado… Não havia reparado nada até mostrar ao Everton (Tonreb) as fotos dos microfones, de cara ele estranhou a frequência do microfone, após pesquisarmos verificamos que a BANDA A que o microfone adquirido pertence NÃO É MAIS HOMOLOGADA pela ANATEL…

Isso porque em janeiro de 2014 a homologação dos produtos dessa banda foi suspensa, devido a reorganização da frequências feita no Brasil. Então os produtos nessa banda de frequencias NÃO DEVERIAM mais ser comercializados. Por esse motivo estaremos solicitando a troca por um de banda autorizada na loja onde foi adquirido o produto.

Fica o alerta, confirmem sempre que comprar os seus produtos a validade do registro na ANATEL pois no nosso caso a banda de frequências foi destinada a aviação, e no futuro não muito distante poderíamos ter problemas com mau funcionamento ou interferências.

About the Author

Dener Pereira da Rosa
Dener Pereira da Rosa
Técnico de Som 1° Igreja Presbiteriana Renovada de Juína, Operador de Áudio e Vídeo Câmara Municipal de Juína e Produtor de Eventos

Be the first to comment on "Sennheiser / Kadosh: Separados na Maternidade?"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Fechar